PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Estado Islâmico no Afeganistão pode atacar EUA em 6 meses, diz secretário

Colin Kahl, subsecretário de políticas para defesa do Pentágono - Reuters
Colin Kahl, subsecretário de políticas para defesa do Pentágono Imagem: Reuters

Do UOL, em São Paulo

26/10/2021 18h01Atualizada em 26/10/2021 18h05

Análises feitas pela inteligência norte-americana mostraram que o Estado Islâmico no Afeganistão pode ser capaz de atacar os Estados Unidos dentro de seis meses —e tem a intenção de fazer isso, disse um funcionário do Pentágono, como é chamado o departamento de Defesa, em depoimento ao Congresso.

As informações são da agência Reuters.

A fala foi feita pelo subsecretário de políticas para defesa, Colin Kahl. Ele alertou que o país no Oriente Médio pode ainda ser uma ameaça para os EUA, mesmo depois da guerra de 20 anos que se encerrou em agosto, com o Talibã assumindo o controle do país.

Kahl também disse que ainda não é claro se o Talibã tem força suficiente para combater o Estado Islâmico. Desde a retirada das tropas americanas, já houve uma série de ataques assumidos pelo EI-K (Estado Islâmico do Khorasan, como é chamado o braço afegão da organização) no país, como o que deixou 32 mortos em uma mesquita no último dia 15.

Uma semana antes, uma explosão causada por um homem bomba em uma mesquita em outra cidade deixou ao menos 100 mortos e feridos, de acordo com a missão da ONU no país.

Em agosto, o Talibã tomou Cabul em uma campanha relâmpago, depois de duas décadas longe do poder. A decisão de retirar os soldados americanos foi apontada como um dos motivos pela aceleração do avanço do grupo.

Internacional