PUBLICIDADE
Topo

Guerra da Rússia-Ucrânia

Notícias do conflito entre Rússia e Ucrânia


Conteúdo publicado há
5 meses

Rússia e Ucrânia terão nova rodada de negociação nos próximos dias

28.fev.2022 - As delegações de Ucrânia e Rússia antes de iniciar reunião, que não chegou em acordo - BelTA/Reuters
28.fev.2022 - As delegações de Ucrânia e Rússia antes de iniciar reunião, que não chegou em acordo Imagem: BelTA/Reuters

Do UOL, em São Paulo

28/02/2022 14h58Atualizada em 28/02/2022 16h23

Após cinco horas de reunião, Rússia e Ucrânia não chegaram em acordo em relação aos conflitos que tiveram início na última quinta-feira (24). Os países se reunirão nos próximos dias para uma nova rodada de negociação.

A reunião de hoje (28) aconteceu em uma das residências do presidente bielorrusso, Alexander Lukashenko —aliado do presidente russo, Vladimir Putin—, na região de Gomel, perto da fronteira com a Ucrânia. Do lado russo, a missão diplomática foi liderada pelo conselheiro do Kremlin, Vladimir Medinski. A Ucrânia enviou seu ministro da Defesa, Oleksii Reznikov.

O assessor do presidente da Ucrânia, Mikhaylo Podolyak, disse que ambos os países retornam hoje para suas capitais e vão realizar consultas para uma segunda rodada.

"As delegações ucranianas e russas realizaram a primeira rodada de negociações. Seu objetivo principal era discutir o cessar-fogo e o fim das ações de combate no território da Ucrânia", disse Podolyak, segundo a CNN Internacional.

Segundo o site Sky News, o assessor ucraniano disse que as negociações hoje foram difíceis. "Infelizmente, o lado russo ainda tem uma visão muito tendenciosa dos processos destrutivos que lançou", disse Podolyak.

Ataques

Logo após vir a público o fim da reunião, Kiev, capital da Ucrânia, informou explosões. O governo ucraniano emitiu um alerta para que a população se dirija a abrigos da Defesa Civil por causa de iminente ataque aéreo russo na cidade.

A Prefeitura de Mykolaiv, no sul da Ucrânia, escreveu no Facebook, pedindo aos civis que saíssem e "resistissem". Segundo a publicação, uma quantidade "significativa" de blindados russos está sendo direcionada para eles.