PUBLICIDADE
Topo

Guerra da Rússia-Ucrânia

Notícias do conflito entre Rússia e Ucrânia


Quem é o coronel que driblou censura na TV russa e criticou país ao vivo

Mikhail Khodaryonok criticou invasão da Ucrânia na TV russa - Reprodução
Mikhail Khodaryonok criticou invasão da Ucrânia na TV russa Imagem: Reprodução

Colaboração para o UOL

18/05/2022 10h57

O analista militar e coronel aposentado Mikhail Khodaryonok, 68 anos, roubou a cena nesta semana ao driblar a censura da TV estatal russa e criticar ao vivo a invasão da Ucrânia.

"A situação, falando francamente, ficará pior para nós", disse o ex-militar, em entrevista no talk-show "60 Minutos", apresentado por Olga Skabeyeva, uma das jornalistas mais pró-governo do país.

O coronel da reserva afirmou ainda que a Rússia precisa "ver a realidade" e que a principal deficiência do país é o seu "isolamento geopolítico total".

"Praticamente todo o mundo está contra nós e precisamos sair desta situação", disse Khodaryonok.

As declarações vêm em meio a uma onda de prisões de críticos do conflito. Cerca de 32 pessoas já foram processadas ou presas por se manifestarem contra a guerra, segundo levantamento para a Radio Free Europeo do grupo russo 'Agora', que presta assistência jurídica a vítimas de violações dos direitos humanos.

Já o OVD-Info, coletivo que monitora a repressão no país, fala em mais de quarenta presos.

Quem é Khodaryonok?

Nascido em Tallinn, então capital da Estônia soviética, e formado na Escola Superior de Engenharia Militar de Minsk, hoje capital de Belarus, Mikhail Mikhailovich Khodaryonok começou nas Forças de Defesa Aérea Soviética, em 1971.

Entre 1977 e 1980, comandou o departamento de controle de combate das tropas rádio-técnicas. Depois, virou comandante da divisão anti-mísseis aéreos e então oficial sênior das Forças de Defesa Aérea Soviética.

A partir de 1992, foi o principal diretor operacional das Forças Armadas da Rússia até que foi para a reserva, nos anos 2000, com o cargo de coronel.

Ele é um militar cheio de condecorações. Recebeu a medalha por serviço impecável, classes 1, 2 e 3, e a medalha da Ordem do Mérito da Pátria, entregue a ele em 2020 pelo presidente russo, Vladimir Putin.

Analista militar renomado

A justificativa para a condecoração foi "méritos no desenvolvimento do jornalismo nacional, alto profissionalismo e muitos anos de trabalho frutífero".

Isso por que, após ir para a reserva, Khodaryonok passou a trabalhar como jornalista militar, escrevendo para publicações russas como o Correio Industrial Militar e a revista Defesa Aeroespacial.

Atualmente, ele trabalha como observador militar na publicação Gazeta.Ru e na estação de rádio Vesti FM. Possui um quadro chamado "A Hora do Militarista" no programa "Das Três às Cinco".

Esta não é a primeira vez que Khodaryonok critica a atuação do governo Putin na guerra da Ucrânia.

Três semanas antes do início do conflito, o coronel publicou um artigo para explicar que as forças armadas do país não conseguiriam derrotar os ucranianos em poucas horas —ao contrário do que diziam vários políticos russos.

Ele ainda observou que os militares da Rússia seriam incapazes de lidar com o fornecimento de insumos e armas por parte de aliados ocidentais à Ucrânia, bem como de realizar ataques de alta precisão para derrubar o governo do país vizinho.

Concluiu afirmando que "os especialistas russos devem esquecer suas fantasias de ódio".