EUA na mira e ajuda russa: o que se sabe do satélite espião norte-coreano

A Coreia do Norte afirma ter lançado seu primeiro satélite de reconhecimento nesta semana. Chamado Maligyong-1, ele entrou em órbita na terça-feira (21) e deve fornecer informações sobre as atividades militares dos EUA e da Coreia do Sul.

O que se sabe sobre o satélite

O projeto vem recebendo investimentos desde 2021. O satélite estava sendo desenvolvido por cientistas da NATA — a Nasa da Coreia do Norte.

Não se sabe, exatamente, qual é a capacidade do satélite. Seu poder de espionagem dependerá da qualidade das fotos e da velocidade com que elas são enviadas para a Terra.

Kim Jong-Un, o líder norte-coreano, já teria visto imagens das principais bases militares dos EUA. A informação é da agência estatal oficial KCNA.

A Rússia pode ter ajudado no lançamento, segundo a Coreia do Sul. Dois lançamentos anteriores, em maio e em agosto, haviam fracassado.

Kim Jong-Un e o presidente da Rússia, Vladimir Putin, tiveram um encontro em setembro. Na ocasião, o russo afirmou que iria ajudar a Coreia do Norte a construir satélites.

O lançamento ocorreu da plataforma de Sohae, segundo a agência estatal. A base fica perto da fronteira com a China.

Reação de outros países

Diante do anúncio, a Coreia do Sul afirmou que irá retomar a vigilância da fronteira com o país de Kim Jong-Un. Com isso, partes de um acordo firmado pelas duas Coreias para reduzir a tensão militar em 2018 serão suspensas.

Continua após a publicidade

A Coreia do Sul também pretende lançar um satélite do tipo ainda em 2023. O equipamento será enviado ao espaço por meio de um foguete da SpaceX. Mais quatro satélites devem ser lançados pelo país até 2025.

O Japão, os EUA e a ONU também condenaram a ação da Coreia do Norte. A Organização mantém sanções contra o país por causa do desenvolvimento de mísseis nucleares.

*Com informações da RFI.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes