Conteúdo publicado há 2 meses

Guiana diz que acionará ONU após Maduro mostrar mapa com território anexado

O presidente da Guiana, Irfaan Ali, afirmou que vai acionar a ONU após Nicolás Maduro anunciar uma série de medidas para criar uma província venezuelana em Essequibo.

O que aconteceu

Irfaan Ali classificou as medidas como "uma ameaça direta à integridade territorial da Guiana". "É uma violação dos princípios fundamentais da Lei Internacional. A Guiana vai intensificar medidas de prevenção para garantir a segurança de seu território", disse ele em pronunciamento durante a madrugada, no horário de Brasília.

O presidente da Guiana também disse que o ato de Maduro foi "desesperado". "Ao desafiar Corte Internacional de Justiça, a Venezuela rejeitou o Lei Internacional, a Justiça, a moralidade e a preservação da paz e da segurança internacional. Eles se declararam como uma nação fora da lei", acrescentou Ali.

À Assembleia Nacional da Venezuela, Maduro defendeu a aprovação da Lei Orgânica que permitirá anexar Essequibo ao seu território. A defesa foi feita conforme decidiu a maioria da população venezuelana em referendo no último domingo (3).

O presidente da Venezuela também quer criar um Alto Comissariado para a Defesa da Guiana Essequibo. Esse grupo contaria com a participação de diferentes órgãos do governo venezuelano, a fim de anexar a região ao seu território.

Ele ainda propôs um plano de Assistência Social aos moradores do território. A ideia, segundo Maduro, seria realizar um censo e distribuir uma nova carteira de identidade aos moradores da região, bem como criar e divulgar um novo mapa da Venezuela para as escolas e universidades, já com a anexação de Essequibo.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes