'Não queremos guerra', diz Lula sobre Venezuela anexar Essequibo

O presidente Lula afirmou hoje que o Mercosul "não pode ficar alheio" à tentativa da Venezuela de anexar o território de Essequibo, na Guiana, e precisa evitar uma guerra.

O que aconteceu

O petista disse que o bloco acompanha a tensão entre os dois países "com crescente preocupação". "Não queremos que esse tema contamine a retomada do processo de reintegração regional ou constitua ameaça à paz e à estabilidade", afirmou Lula. "Enfatizo a importância de que as instâncias da Celac e Unasul estejam plenamente utilizadas para o encaminhamento pacífico dessa questão. Sugiro que o presidente Ralph Gonsalves, presidente de turno da Celac, possa tratar do tema com as duas partes", acrescentou o presidente brasileiro.

Caso considerado útil, o Brasil e o Itamaraty estarão à disposição para sediar qualquer e quantas reuniões forem necessárias. Nós vamos tratar com muito carinho. Porque uma coisa que nós não queremos na América do Sul é guerra. Não precisamos de conflitos. Lula em encontro com chefes de Estado da Cúpula do Mercosul

Guiana diz que Lula garantiu apoio ao país

O presidente da Guiana, Irfaan Ali, afirmou que Lula garantiu apoio ao país na disputa contra a Venezuela pelo território de Essequibo. "O presidente Lula me garantiu que o Brasil apoia fortemente a Guiana, e que não apoiaria nenhum comportamento imprudente da Venezuela", disse ele, em entrevista à CNN Brasil.

Ali já tinha elogiado posição do Brasil no conflito. Ontem, ele disse que a resposta brasileira era "muito madura", e classificou a Venezuela como um país "imprevisível".

EUA anunciaram exercício militar na Guiana

Os Estados Unidos farão um exercício aéreo militar na Guiana, anunciou a embaixada norte-americana no país. Segundo comunicado, a operação "fortalece a parceria de segurança entre os EUA e a Guiana".

"Os Estados Unidos reforçam seu compromisso como parceiro de segurança da Guiana e promotor de cooperação e interoperabilidade regional", diz o texto.

Continua após a publicidade

Anúncio acontece após aumento de tensão com a Venezuela, que pretende anexar a província de Essequibo, que corresponde a cerca de 70% da Guiana. A região é rica em petróleo.

Disputa do território é histórica e acontece ao menos desde 1899. A Venezuela argumenta que zona marítima em frente a Essequibo pertence ao país. Já a Guiana disse ter entrado em contato com órgãos internacionais para preservar suas fronteiras.

Acordo entre Mercosul e União Europeia

Lula também falou hoje que não desistirá de buscar o acordo entre o Mercosul e a União Europeia, perseguido há mais de duas décadas.

"Nem tudo acontece como a gente quer e no tempo que a gente quer. Meu lema é não desistir nunca; não há nada que não seja possível realizar. Isso vale para tentativa de acordo com UE, que já acontece há 23 anos."

O presidente brasileiro voltou a criticar o "protecionismo" de Emmanuel Macron. O petista lembrou que neste fim de semana conversou com Macron: "Fiz um apelo com Macron para ele deixar de ser tão protecionista e, de qualquer forma, não deu certo", disse Lula ao referir a reunião com o presidente francês durante a CPO28.

Continua após a publicidade
O território de Essequibo é disputado pela Venezuela
O território de Essequibo é disputado pela Venezuela Imagem: UOL Arte

* Com informações da Agência Estado e da Ansa

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes