Conteúdo publicado há 2 meses

EUA anunciam exercício militar na Guiana em área reivindicada por Venezuela

Os Estados Unidos farão um exercício aéreo militar na Guiana, anunciou a embaixada norte-americana no país. A comunicação acontece em meio a disputa com a Venezuela pelo território de Essequibo.

O que aconteceu

Exercícios militares acontecerão ainda hoje. Segundo comunicado, a operação "fortalece a parceria de segurança entre os EUA e a Guiana" (veja a íntegra da nota abaixo).

"Os Estados Unidos reforçam seu compromisso como parceiro de segurança da Guiana e promotor de cooperação e interoperabilidade regional", diz o texto.

Anúncio acontece após aumento de tensão com a Venezuela, que pretende anexar a província de Essequibo, que corresponde a cerca de 70% da Guiana. A região é rica em petróleo.

Disputa do território é histórica e acontece ao menos desde 1899. A Venezuela argumenta que zona marítima em frente a Essequibo pertence ao país. Já a Guiana disse ter entrado em contato com órgãos internacionais para preservar suas fronteiras.

Leia a íntegra do comunicado da embaixada norte-americana na Guiana:

Em colaboração com a Força de Defesa da Guiana, o Comando Sul dos EUA vai conduzir operações de voo com a Guiana em 7 de dezembro. Esse exercício estimula o entrosamento de rotina e as operações para melhorar a parceria de segurança entre os Estados Unidos e a Guiana, e fortalece a cooperação regional.

Além desse exercício, o Comando Sul dos EUA vai continuar sua colaboração com as Forças de Defesa da Guiana nas áreas de preparação para desastres, segurança marítima e aérea, e combate a organizações criminosas transnacionais.

Os EUA continuarão seu compromisso como confiável parceiro de segurança da Guiana e promotor de cooperação e interoperabilidade regional.

Continua após a publicidade
O território de Essequibo é disputado pela Venezuela
O território de Essequibo é disputado pela Venezuela Imagem: UOL Arte

Helicóptero do Exército da Guiana desapareceu ontem perto da fronteira

Três tripulantes e quatro passageiros estavam a bordo, segundo informações do Exército. A aeronave foi encontrada no início desta tarde, mas ainda não há informações sobre o estado de saúde das pessoas. Segundo a nota, há "sinais positivos de vida no local".

Aeronave perdeu contato com a base ontem a cerca de 45 km da fronteira entre Guiana e a Venezuela. "Não temos informações sobre um possível envolvimento da Venezuela", disse o porta-voz do Exército guianês, Omar Khan. "O tempo estava ruim".

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes