Conteúdo publicado há 5 meses

Funcionários da prisão alegam que Navalny teve morte súbita, família refuta

A mãe e um advogado do opositor russo Alexei Navalny foram informados que ele teve a "síndrome da morte súbita". O diretor da Fundação Anticorrupção e a porta-voz do russo, porém, refutam essa versão.

O que aconteceu

A mãe de Navalny foi informada da causa da morte por funcionários da prisão. A informação foi divulgada no X, antigo Twitter, pelo diretor da Fundação Anticorrupção de Alexei Navalny, Ivan Jdanov.

"Ao mesmo tempo, quando o advogado e a mãe de Alexei chegaram à colônia esta manhã, foram informados de que a causa da morte de Navalny foi a síndrome da morte súbita", publicou.

Advogados de Navalny foram informados que "nada criminoso" foi apurado. No entanto, a versão é contestada porque acreditam em assassinato.

Necrotério fechado. A porta-voz de Navalny, Kira Yarmish, exige que o corpo seja entregue para a família enquanto, segundo ela, o Comitê de Investigação afirma que o corpo só será liberado após a conclusão da investigação.

"Os resultados supostamente estarão disponíveis na próxima semana. É óbvio que eles estão mentindo e fazendo tudo o que podem para evitar a entrega do corpo", disse.

Há apenas uma hora, os advogados foram informados de que a investigação havia sido concluída e que nada de criminoso havia sido apurado. Eles literalmente mentem todas as vezes, nos conduzindo em círculos e encobrindo seus rastros.
Kira Yarmish, porta-voz de Alexei Navalny

A versão do serviço penitenciário russo diz que após o opositor passar mal, médicos teriam tentado ressuscitá-lo por "mais de meia hora", mas sem sucesso. As informações são de agências de notícias russas.

Morte de Navalny na prisão

Ele estava preso sob acusação de "extremismo" no distrito autônomo de Yamal-Nenets. A informação da morte foi confirmada na manhã desta sexta-feira (16).

Continua após a publicidade

"O preso A.A.Navalny sentiu-se mal depois de uma caminhada e quase imediatamente perdeu a consciência na colônia correcional nº 3, em 16 de fevereiro", informaram as autoridades russas, em nota encaminhada à imprensa.

O principal líder da oposição contra Vladmir Putin cumpria uma sentença de 19 anos. Ele estava preso na colônia penal de Kharp, uma prisão próxima do Círculo Polar Ártico, onde as temperaturas podem chegar à -30 °C. Conhecida como "Lobo Polar", o local é considerado um dos mais duros na Rússia.

Há quatro anos, Navalny foi envenenado com um agente nervoso do grupo Novichok, considerado uma arma química. Ele ficou internado em um hospital em Berlim por um mês. A substância foi confirmada por laboratórios da Alemanha, França e Suécia. O governo russo negou qualquer envolvimento.

Deixe seu comentário

Só para assinantes