Conteúdo publicado há 1 mês

Israel divulga vídeos de caças abatendo drones iranianos; veja

As Forças de Defesa de Israel divulgaram vídeos de aviões militares israelenses derrubando drones do Irã que faziam ataques ao território israelense.

O que aconteceu

Imagens também mostram o momento que mísseis iranianos foram interceptados. Os vídeos foram publicados pelas autoridades israelenses nas redes sociais. "É assim que se parece uma taxa de interceptação de 99%", disse Israel, ao fazer referência "Domo de Ferro", o sistema antimísseis que protege o território israelense.

Como funciona o 'Domo de Ferro'

Região da queda define se o foguete será interceptado. Se o sistema avaliar que o disparo atingirá uma área desabitada de Israel, o escudo antimísseis não faz nada para interceptar o ataque.

Se for cair em uma região povoada, o Domo de Ferro entra em ação. Neste caso, pelo menos dois mísseis israelenses são disparados para interceptar o foguete. A tecnologia também calcula para que o objeto não seja abatido sobre uma cidade ou uma área habitada.

Sistema é caro e mantido com dinheiro dos EUA. Cada míssil interceptador do Domo de Ferro custa US$ 60 mil, e o dinheiro para financiar o complexo sistema de defesa vem do Congresso norte-americano.

Irã diz que operação já acabou

O governo iraniano citou o ataque como "caso encerrado". O chefe das Forças Armadas, Mohammad Bagheri, disse que a partir de agora o Irã não tem "nenhuma intenção" de dar sequência à operação. Mas o Irã também alerta para que Israel não ataque de volta. Se isso acontecer, o país diz que fará novas ofensivas.

Ataque teve como alvos bases militares, diz o Irã. Segundo agências de notícias iranianas, os ataques tinham como objetivo atingir a base aérea de Nevatim e uma instalação militar no Monte Hermon, na fronteira do Líbano com a Síria.

Israel diz que vai reagir 'no momento certo'

Israel diz que decidiu não retaliar o Irã "imediatamente". A decisão foi tomada pelo primeiro-ministro Benjamin Netanyahu depois de um telefonema do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e do apelo do G7, da ONU e de países do Oriente Médio.

Continua após a publicidade

Ministro afirmou que vai fortalecer a "aliança estratégica e a cooperação regional". Em comunicado, o chefe do gabinete de guerra israelense, Benny Gantz, diz considerar que o Irã não é apenas um perigo para Israel, mas "um problema global".

* Com informações da AFP e Ansa

Deixe seu comentário

Só para assinantes