Topo

Dilma dedicará atenção especial aos africanos durante a Rio+20

20.jun.2012 - Dilma Rousseff, Antonio Patriota e Izabella Teixeira participam de plenária da Rio+20, Conferência da ONU sobre o Desenvolvimento Sustentável - Agência Brasil
20.jun.2012 - Dilma Rousseff, Antonio Patriota e Izabella Teixeira participam de plenária da Rio+20, Conferência da ONU sobre o Desenvolvimento Sustentável Imagem: Agência Brasil

Renata Giraldi e Carolina Gonçalves

Da Agência Brasil, no Rio

20/06/2012 14h20

Nos raros intervalos da Rio+20, Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável, a presidente Dilma Rousseff atenderá a apenas sete pedidos dos 57 que recebeu para encontros bilaterais. Dilma dará atenção especial aos africanos durante o jantar amanhã (21). Antes, ela almoça hoje (20) com o presidente da França, François Hollande, e recebe também nesta quarta-feira os presidentes do Senegal, Macky Sall, e da Nigéria, Goodluck Jonathan.

O café da manhã de amanhã da presidente será com o primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan e, depois, ela tem reuniões, em horários alternados, com o presidente de El Salvador, Mauricio Funes, que é casado com a brasileira Vanda Pignato, ligada ao PT (Partido dos Trabalhadores). À noite, Dilma se encontra com cerca de 50 representantes da União Africana.

A presidente não irá receber o líder do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, que também solicitou audiência privada. O eventual mal-estar causado pela recusa é explicado pela ausência de tempo em sua agenda. Ela chegou hoje por volta das 5h do México e logo iniciou os trabalhos da Rio+20.

Amanhã, para o jantar com os africanos, também é esperada a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Após um ano e meio no governo, Dilma esteve apenas em dois países africanos – Moçambique e Angola –, mas quer explicar que a África está entre as prioridades da política externa brasileira.

De acordo com negociadores brasileiros, os africanos querem ampliar as relações com o Brasil e a América Latina, pois acreditam que os continentes têm semelhanças. Para os africanos, a globalização aproxima os países de tal maneira que há uma tendência à ampliação da classe média na África, como ocorre no Brasil.

Uma das preocupações dos africanos é com o crescimento populacional, pois a estimativa é que em breve a África tenha 2 bilhões de habitantes. Eles querem desenvolver parcerias para implementar a agricultura tropical, aproveitando a geologia da região que é semelhante à do Brasil, e trocar experiências para transferência de tecnologias.

Mais Meio Ambiente