ONG australiana divulga vídeo impactante de pescadores japoneses matando baleias

Em Sydney

Após uma longa batalha com o governo australiano, a organização ecologista Sea Shepherd publicou na terça-feira (28) um vídeo impactante que mostra pescadores japoneses caçando baleias com arpão no Oceano Antártico.

Filmadas em 2008 por equipes da Alfândega a bordo de uma embarcação australiana, as imagens mostram baleeiros japoneses pescando em águas antárticas e retirando os corpos de baleias de um mar ensanguentado.

A Sea Shepherd havia reclamado em 2012 ao ministério australiano da Proteção de Fronteiras a divulgação das imagens em nome da liberdade de informação. Mas o governo não aceitou em várias ocasiões e alegou o risco de prejudicar as relações internacionais".

Depois de um recurso à Comissão Australiana de Informação, que tem autoridade para avaliar as decisões do governo a respeito da liberdade de informação, o ministério recebeu a ordem de obedecer ao pedido.

"O governo australiano censura este vídeo há vários anos. A principal razão era que as imagens deste horrível massacre prejudicariam as relações diplomáticas com o Japão", declarou em um comunicado o diretor da Sea Shepherd, Jeff Hansen.

"O governo australiano escolheu ficar ao lado dos caçadores, ao invés defender as baleias do oceano Antártico".

A organização anunciou há alguns meses o fim de sua campanha anual de assédio aos baleeiros japoneses no Grande Sul, admitindo seus próprios limites ante a força marítima nipônica.

A Sea Shepherd realizava há 12 anos grandes operações em alto mar para tentar impedir a caça das baleias por navios japoneses. A ONG afirma que salvou milhares de cetáceos, ao mesmo tempo que revelou ao mundo as atividades ilegais dos baleeiros.

O Japão assinou a moratória sobre a caça da Comissão Baleeira Internacional, mas utiliza uma brecha no texto que autoriza a caça de cetáceos com fins científicos.

A Corte Internacional de Justiça ordenou em 2014 ao Japão o fim das campanhas regulares de caça em águas do oceano Antártico.

O Japão cancelou a campanha 2014-2015, mas no ano seguinte retomou a caça, apresentando outro programa fundamentado, segundo Tóquio, em verdadeiros motivos científicos.

O governo nipônico afirma que deseja demonstrar que a população de baleias é suficientemente grande para suportar as campanhas comerciais de caça com fins alimentares.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos