PUBLICIDADE
Topo

Meio Ambiente

Governadores pedirão US$ 300 mi aos EUA para projetos ambientais no Brasil

18.abr.2021 - John Kerry, enviado dos Estados Unidos para o clima - AFP/Embaixada dos Estados Unidos em Seul
18.abr.2021 - John Kerry, enviado dos Estados Unidos para o clima Imagem: AFP/Embaixada dos Estados Unidos em Seul

Rafael Neves

Do UOL, em Brasília

28/07/2021 04h00Atualizada em 28/07/2021 15h18

Sete governadores brasileiros têm uma reunião marcada para a próxima sexta-feira, às 16h, com John Kerry, ex-secretário de estado dos EUA. O político norte-americano, que ocupou o cargo durante o governo do ex-presidente Barack Obama, é agora enviado especial para o clima, uma função inaugurada na gestão do atual presidente americano, Joe Biden.

O encontro foi articulado pelo conselho Governadores pelo Clima, uma coalizão de gestores estaduais criada para discutir questões ambientais. Segundo o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), que está à frente do diálogo com o governo dos EUA, o grupo pedirá apoio financeiro para a implantação de até nove projetos de recuperação ambiental em todas as regiões do Brasil.

Juntas, as nove iniciativas têm custo estimado de US$ 300 milhões (R$ 1,55 bilhão no câmbio atual). "Neste assunto, o governo federal não está tendo uma participação direta. Mas nós, governadores, não queremos fazer disso um assunto de disputa. A gente quer somar", afirmou Casagrande ao UOL.

Elaborados pelas secretarias de meio ambiente dos estados envolvidos, os projetos que serão apresentados a Kerry tratam de todas as regiões do país. Além do gestor capixaba, estão confirmados na reunião os governadores de São Paulo, João Doria (PSDB), do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), do Piauí, Wellington Dias (PT), do Pará, Helder Barbalho (MDB), do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB) e de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB).

Caso o governo americano se disponha a investir nos projetos, o dinheiro será destinado a um fundo a ser criado pela coalizão de governadores, de acordo com Casagrande. "Ainda estamos elaborando um modelo de governança para gerir estes recursos", explica.

Histórico

Segundo Casagrande, as negociações com os EUA foram iniciadas em março, com o envio de uma carta a Biden assinada por todos os 27 governadores brasileiros. Na mensagem, eles se colocaram à disposição para fechar parcerias em assuntos ligados às mudanças climáticas.

Com o governo [de Donald] Trump era impossível abrir diálogo sobre isso"
Renato Casagrande, governador do ES

A ponte com o governo americano foi feita com a R20, uma ONG ambiental fundada em 2011 pelo ex-ator e ex-governador da Califórnia Arnold Schwarzenegger. Os contatos no Brasil foram feitos por Jorge Pinheiro Machado, diretor da instituição no país.

As negociações com o governo americano ainda estão em estágio inicial, de acordo com Casagrande. "É difícil dar uma expectativa de prazo para os próximos passos. Essas relações bilaterais têm o seu próprio ritmo. A ideia inicial é apresentar os planos", afirma.

Os projetos

Os governadores irão apresentar na sexta uma lista com os projetos candidatos a financiamento. São dois projetos previstos para as regiões Sul, Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste, além de um plano para a região Norte. São os seguintes:

  • Bioeconomia Pé no Chão (região Norte)

Construção e execução de um plano de ação, econômico e humano, para o desenvolvimento do Pará, voltado à exportação de produtos compatíveis com a floresta amazônica.

  • Expansão do programa Maranhão Verde (região Nordeste)

Projetos de recuperação e conservação florestal para preservação de matas ciliares e reflorestamento das áreas degradadas de rios e nascentes do Maranhão.

  • Desenvolvimento socioprodutivo (região Nordeste)

Projeto integrado de monitoramento, conservação, restauração florestal e desenvolvimento socioprodutivo dos estados da região.

  • Bacias hidrográficas do Espírito Santo (região Sudeste)

Iniciativa de gestão Integrada dos recursos hídricos e revitalização das bacias hidrográficas do Espírito Santo: do Rio Itapemirim, do Rio Santa Maria, do Doce e do Rio Santa Joana.

  • Vale do Futuro (região Sudeste)

Plano para desenvolvimento das cadeias de produção de espécies nativas da mata atlântica, como a palmeira Juçara, com suporte às pequenas comunidades produtoras.

  • Renova Taquari (região Centro-Oeste)

Projeto para reduzir o depósito excessivo de sedimentos que causam o assoreamento do rio Taquari, em Mato Grosso do Sul.

  • Pró-Pantanal (região Centro-Oeste)

Programa de estímulo à recuperação econômica do Pantanal, por meio de ações de apoio aos empreendimentos existentes no bioma, da economia criativa e economia da biodiversidade.

  • Revitalização das bacias hidrográficas (região Sul)

Plano de melhoria da qualidade e aumento do volume de água das bacias hidrográficas vulneráveis e sujeitas à degradação ambiental.

  • Conservação do Pampa e da mata atlântica (região Sul)

Projeto de conservação e recuperação de ambientes florestais e campestres nos biomas Pampa e mata atlântica no Rio Grande do Sul.

Meio Ambiente