PUBLICIDADE
Topo

Meio Ambiente

Incêndio na Chapada dos Veadeiros já destruiu área equivalente a Recife

Incêndio consome a Chapada dos Veadeiros, em Goiás - Divulgação/Corpo de Bombeiros - 23.set.2021
Incêndio consome a Chapada dos Veadeiros, em Goiás Imagem: Divulgação/Corpo de Bombeiros - 23.set.2021

Pedro Paulo Couto

Colaboração para o UOL, em Goiânia

23/09/2021 12h28

O incêndio na região da Chapada dos Veadeiros, em Goiás, chegou hoje ao 12º dia seguido. De acordo com o Corpo de Bombeiros, a área queimada já passa dos 23 mil hectares, o equivalente a mais de 23 mil campos de futebol ou à área da cidade do Recife.

Esse já é o terceiro maior incêndio no local desde 2010. O maior foi em 2017, quando, segundo dados do ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), o fogo consumiu cerca de 60 mil hectares. Há 11 anos o incêndio na Chapada dos Veadeiros queimou poucos mais de 30 mil hectares.

De acordo com o coordenador da força-tarefa montada para combater o fogo, capitão do Corpo de Bombeiros, Luiz Antônio Dias Araújo, atualmente são três focos de incêndio ativos na região, onde as equipes estão concentradas.

"Tem um foco às margens do parque e dois grandes dentro da unidade", disse o capitão ao UOL.

No último domingo (19), com o surgimento de focos de incêndio às margens da rodovia que dá acesso à Chapada dos Veadeiros, o capitão disse que o fogo "indicava a ação de um incendiário".

A Polícia Civil investiga se a origem do incêndio foi mesmo criminoso e um suspeito já teria sido identificado. A corporação também apura uma possível negligência, mas não deu mais detalhes para não atrapalhar as investigações.

Combate às chamas

São cerca de 200 profissionais que trabalham no combate às chamas, entre bombeiros de Goiás e do Distrito Federal, brigadistas do ICMBio e do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), além de voluntários da região.

Três aeronaves também auxiliam o grupo lançando água nas regiões mais afetadas e de difícil acesso.

Aviões são utilizados para combater o incêndio na Chapada dos Veadeiros, em Goiás - Albery Santini/Futura Press/Estadão Conteúdo - 18.set.2021 - Albery Santini/Futura Press/Estadão Conteúdo - 18.set.2021
Aviões são utilizados para combater o incêndio na Chapada dos Veadeiros, em Goiás
Imagem: Albery Santini/Futura Press/Estadão Conteúdo - 18.set.2021

"É um efetivo gigantesco, e diariamente chegam novos profissionais. Nós estabelecemos um comando e com duas reuniões diárias as ações são organizadas e as funções divididas", explicou o capitão Dias.

A dificuldade para controlar o fogo se dá pelo tamanho da região, o tempo seco nessa época do ano e os ventos fortes, além do surgimento quase diário de novos focos.

O capitão Dias relatou que a área queimada dentro do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros é de aproximadamente 5.000 hectares, mas a unidade continua funcionando.

O local tem várias cachoeiras e trilhas e é uma atração turística que recebe pessoas de todo o país.

"O parque está funcionando porque os focos estão há cerca de 40 km dos atrativos turísticos. Se chegar mais perto, eles determinam o fechamento", explicou o capitão.

A reportagem do UOL tenta contato desde à tarde de ontem com o parque, mas os telefones não atendem e as mensagens não foram respondidas.

Bombeiro combatem incêndio na Chapada dos Veadeiros, em Goiás - Divulgação/Corpo de Bombeiros -23.set.2021 - Divulgação/Corpo de Bombeiros -23.set.2021
Bombeiro combatem incêndio na Chapada dos Veadeiros, em Goiás
Imagem: Divulgação/Corpo de Bombeiros -23.set.2021

Brigadistas feridos e bombeiros com covid

Na última terça-feira (21), uma brigadista do ICMBio ficou ferida após cair em uma região de pedras. Ela foi socorrida e encaminhada ao hospital.

No mesmo dia, o Corpo de Bombeiros confirmou que dois militares que trabalhavam no combate ao incêndio testaram positivo para a covid-19.

Segundo a corporação, eles foram "imediatamente isolados dos demais companheiros e foram trazidos para Goiânia".

O estado de saúde dos dois é bom e eles ficarão em quarentena, sob supervisão médica. Todos os bombeiros que trabalham na operação estão sendo testados.

Na primeira semana, um voluntário também se queimou, mas sem gravidade. No entanto, ele foi retirado da força-tarefa.

O fogo na Chapada dos Veadeiros começou no domingo, dia 12 setembro, na região do Vale da Lua. Cerca de cem turistas estavam no local e chegaram a ficar isolados por causa do incêndio, mas foram resgatados pelo Corpo de Bombeiros.

Meio Ambiente