Topo

Mesmo após críticas de Dilma sobre Guantánamo, EUA elogiam a brasileira

Fábio Brandt

Do UOL, em Brasília

06/02/2012 07h00

A terceira pessoa mais importante da diplomacia dos EUA, Wendy Sherman, elogiou a presidente Dilma Rousseff ao ser confrontada com as críticas feitas pela brasileira à prisão mantida pelo governo norte-americanos em Guantánamo, em Cuba.

Dilma havia criticado os Estados Unidos em 31 de janeiro, durante visita oficial a Cuba. 

Sherman, subsecretária para assuntos políticos do Departamento de Estado dos EUA, participou do “Poder e Política – Entrevista” em 3 de fevereiro. O programa, conduzido pelo jornalista Fernando Rodrigues no estúdio do Grupo Folha em Brasília, é uma parceria do UOL e da Folha de S.Paulo.

>>Fotos da entrevista com Wendy Sherman.

“Creio que ninguém possa criticar as credenciais da presidente Dilma como defensora dos direitos humanos, como alguém que compreende por sua própria experiência de vida como eles são cruciais”, disse Sherman.

Sobre a prisão, Wendy Sherman afirmou somente que o presidente dos EUA, Barack Obama, prometeu fechá-la e que os detidos ali são “combatentes inimigos capturados durante a guerra contra o terrorismo”.

Na entrevista, a subsecretária falou também sobre a concessão de vistos para brasileiros viajarem para os EUA e sobre a visita que Dilma deve fazer a Obama em abril. E comentou a participação do Brasil em negociações para frear o programa nuclear do Irã e a reforma do Conselho de Segurança da ONU.

A seguir, veja a íntegra da entrevista em vídeo com Wendy Sherman, em inglês e com legendas em português. A transcrição completa está disponível em portuguêsem inglês.

 

Mais Política