Topo

CPI está chapa-branca, diz senador Pedro Taques, integrante da comissão

Fábio Brandt

Do UOL, em Brasília

18/05/2012 07h00

O senador Pedro Taques (PDT-MT), integrante da CPI do Cachoeira, afirmou nesta quinta-feira (17) que a comissão, composta majoritariamente por aliados da presidente Dilma Rousseff, está mais para “chapa-branca” e corre o risco de ficar esvaziada.

Taques falou sobre o assunto no “Poder e Política – Entrevista”, programa do UOL e da Folha conduzido pelo jornalista Fernando Rodrigues no estúdio do Grupo Folha em Brasília. 

>> Fotos da entrevista com Pedro Taques
>> Transcrição completa da entrevista com Pedro Taques
>> Arquivo com todas as entrevistas do “Poder e Política”

Taques também disse que a CPI precisa convocar, “o mais rápido possível”, o empresário Fernando Cavendish, dono da empreiteira Delta. Ele afirmou ainda que as regras que definem a atuação da comissão permitem convocar governadores de Estado. Segundo o senador, Agnelo Queiroz (PT-DF), Marconi Perillo (PSDB-GO) e Sérgio Cabral (PMDB-RJ) precisam ser convocados –algo que a maioria governista da comissão tem conseguido evitar.

Nem o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, nem jornalistas que tenham usado Carlos Cachoeira como fonte de informações precisam ser chamados pela CPI, disse Taques. Para ele, a comissão não pode ser usada como “instrumento de vingança”.

Numa parte descontraída da entrevista, o senador fez piada sobre sua semelhança física com Carlinhos Cachoeira, o empresário preso e suspeito de comandar máfia de crime ilegal que dá nome à CPI. “Contra fatos não há argumentos. A minha mãe disse: ‘Você parece muito’ [risos]. E aí eu respondi à minha mãe: ‘Olha, eu estou pensando em fazer um exame de DNA’ ”, disse Taques.

A seguir, playlist com trechos em vídeo da entrevista de Pedro Taques (passe o mouse sobre as imagens para escolher o tópico do depoimento que deseja assistir). Abaixo da playlist, vídeo com a íntegra da entrevista.

 

 

Mais Política