Topo

Deputado pede explicações sobre bate-boca na MP dos Portos

O deputado Anthony Garotinho (PR-RJ), durante sessão na Câmara dos Deputados que discutiu a MP dos Portos e foi suspensa após bate-boca com Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na quarta-feira (8) - Sergio Lima - 15.fev.12/Folhapress
O deputado Anthony Garotinho (PR-RJ), durante sessão na Câmara dos Deputados que discutiu a MP dos Portos e foi suspensa após bate-boca com Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na quarta-feira (8) Imagem: Sergio Lima - 15.fev.12/Folhapress

Do UOL, em Brasília

09/05/2013 19h58

O líder do MD (Mobilização Democrática) na Câmara dos Deputados, Rubens Bueno, protocolou nesta quinta-feira (9) um pedido para que a Mesa Diretora da Casa Legislativa chame os deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e Antony Garotinho (PR-RJ) para explicarem as denúncias de que a MP (medida provisória) dos Portos atenderia a “interesses escusos de grupos econômicos”.

O bate-boca entre Cunha e Garotinho acabou encerrando a sessão de ontem (8) na Câmara, sem a conclusão da votação do projeto que regula o setor portuário - uma das atuais matérias prioritárias de Dilma Rousseff, que fez um apelo hoje para que a proposta seja votada
 
O embate de ontem ocorreu depois que Cunha apresentou uma sugestão de alteração ao texto que não foi aceita por Garotinho. Ele disse que o texto virou a "MP dos Porcos" e denominou a ideia de Cunha como "emenda Tio Patinhas". 
 
Novamente hoje, Garotinho reiterou sua fala anterior e disse que a medida estava sendo negociada de forma "nada republicana". "Lobistas de grupos que administram os portos estavam espalhados no plenário da Câmara. Eu fiz um favor ao meu partido e ao meu país. O Brasil quer modernizar o setor de portos, mas não aquilo que está sendo proposto por Cunha, que não tem nenhuma condição", disse o deputado. 
 
  • Luis Macedo/Câmara dos Deputados

    O deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), durante sessão que discutiu a MP dos Portos

No pedido, Rubens Bueno argumenta ainda que cabe aos dois parlamentares revelar quem seriam os interessados em participar de um suposto esquema de corrupção. 
 
O deputado pede ainda que, se ficar “caracterizada a quebra de decoro por qualquer um dos parlamentares”, o caso seja levado para o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara.
 

Depois da sessão de quarta-feira, 14 deputados do PR reuniram-se para articular a substituição de Garotinho na liderança da bancada. O vice-líder do partido, o deputado Bernardo Santana de Vasconcellos (MG), disse que não concordou com a fala de Garotinho e que o líder colocou a bancada numa situação constrangedora.

 

“Passamos um vexame em Plenário. Não existe líder de si mesmo, e ele não nos comunicou nada. Foi uma atitude irresponsável. Se faz uma denúncia, mostra prova, não fala supostamente”, afirmou.

 

Ele espera conseguir a adesão de pelo menos 18 deputados, maioria da bancada do PR na Câmara, para a realização de nova eleição da liderança. (Com Agência Câmara)

Política