Topo

Nestor Cerveró é preso ao desembarcar no Rio

Geraldo Bubniak/AGB/Estadão Conteúdo
Cerveró chega ao IML de Curitiba onde passa por exame de corpo de delito Imagem: Geraldo Bubniak/AGB/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

2015-01-14T01:05:07

2015-01-14T13:00:34

14/01/2015 01h05Atualizada em 14/01/2015 13h00

O ex-diretor da área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró foi preso pela Polícia Federal ao desembarcar no Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão), no Rio de Janeiro, no início da madrugada desta quarta-feira (14), segundo informado por seu advogado, Edson Ribeiro, ao canal GloboNews. Ele estava num voo procedente de Londres.

Cerveró é acusado de envolvimento no suposto esquema de corrupção na estatal apurado pela Operação Lava Jato e deverá ser encaminhado para Curitiba, onde estão presos os outros investigados. Ele responde pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Ribeiro afirmou ter sido informado da prisão pelo próprio Cerveró, mas disse "estranhar" a ação da PF. "A Polícia Federal e o Ministério Público Federal foram informados da viagem, dos seus endereços e já tinham confirmado que ele prestaria depoimento na quinta-feira", afirmou.

Na investigação, o ex-diretor é acusado de ter recebido 15 milhões de dólares para recomendar a contratação pela Petrobras do estaleiro coreano Samsung Heavy Industries. O recebimento da suposta propina teria sido intermediado por Fernando Baiano, que está entre os presos na capital paranaense.

Em depoimento em Comissão Parlamentar Mista de Inquérito, em setembro do ano passado, Cerveró negou as irregularidades. Na ocasião, o advogado do ex-diretor disse que a acusação espelhava "apenas ilações do Ministério Público Federal despidas de provas".

Segundo o Ministério Público Federal, há indícios de que Cerveró "continua a praticar crimes, como a ocultação do produto e proveito do crime no exterior".

Mais Política