PUBLICIDADE
Topo

Nome de nova fase da Lava Jato refere-se a tentativa de golpe em Roma

PF cerca residência oficial do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, em Brasília - Pedro Ladeira/Folhapress
PF cerca residência oficial do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, em Brasília Imagem: Pedro Ladeira/Folhapress

Do UOL, em São Paulo

15/12/2015 08h09

Nome da nova fase da operação Lava Jato, “Catilinárias” são uma série de quatro discursos que Cícero, o cônsul romano Marco Túlio Cícero, proferiu no Senado romano. Nesta terça (15), a Polícia Federal iniciou uma ação de busca e apreensão na residência oficial da presidência da Câmara, atualmente ocupada pelo deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ). A ação também é feita nas casas dos ministros Celso Pansera (Ciência e Tecnologia) e Henrique Eduardo Alves (Turismo).

Os textos de Cícero referem-se a Lúcio Catilina, que teria comandado uma revolução para dissolver o Senado e tomar o poder em Roma em 63 a.C.. Uma das frases mais conhecidas do discurso é a seguinte: “até quando, Catilina, abusarás da nossa paciência?”.

Segundo registros históricos, na noite de 6 para 7 de novembro de 63 a.C., Catilina reuniu dirigentes da conspiração para tomarem as últimas decisões antes de uma nova tentativa de golpe em Roma.

Ao saber disso, Cícero teria decidido convocar o Senado. Na reunião, o cônsul teria ficado indignado com a presença de Catilina e acusou-o através do primeiro da série de discursos, que veio a ser conhecida como “Catilinárias”. A fala de Cícero teria convencido o Senado de uma possível conspiração de Catilina.

Em dezembro, após o quarto discurso de Cícero e já condenado à morte, Catilina recusou-se a entregar-se. Em janeiro de 62 a.C., Catilina foi morto em um campo de batalha.

Leia um trecho do primeiro discurso das “Catilinárias”:

“Até quando, ó Catilina, abusarás da nossa paciência?

Por quanto tempo ainda há-de zombar de nós essa tua loucura?

A que extremos se há-de precipitar a tua audácia sem freio?

Nem a guarda do Palatino, nem a ronda nocturna da cidade, nem os temores do povo, nem a afluência de todos os homens de bem, nem este local tão bem protegido para a reunião do

Senado, nem o olhar e o aspecto destes senadores, nada disto conseguiu perturbar-te?

Não sentes que os teus planos estão à vista de todos?

Não vês que a tua conspiração a têm já dominada todos estes que a conhecem?

Quem, de entre nós, pensas tu que ignora o que fizeste na noite passada e na precedente, em que local estiveste, a quem convocaste, que deliberações foram as tuas?”

Política