Se não disputar Presidência, Lula projeta Haddad como candidato do PT

Do UOL, em São Paulo

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva considera que o nome do ex-prefeito paulistano Fernando Haddad é uma das possibilidades do PT para disputar a Presidência da República em 2018 caso ele não possa participar do pleito.

"O Haddad pode ser uma personalidade importante se ele se dispuser a percorrer o Brasil. Já falei para o Haddad: você tem que botar o pé na estrada, falar da educação, falar do que você fez na educação", disse Lula ao se referir ao político que foi ministro da Educação durante seu governo. O petista concedeu entrevista, no início da tarde desta quinta-feira (20), ao canal "ultrajano", no YouTube.

Após ser condenado a nove anos e seis meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro pelo juiz federal Sergio Moro na semana passada, Lula apresentou-se como pré-candidato do PT à Presidência. Mas, caso o TRF (Tribunal Regional Federal) da 4ª Região, a segunda instância da Operação Lava Jato, confirme a sentença de Moro, o petista não poderá disputar a eleição do ano que vem.

A referência a Haddad foi feita quando Lula foi questionado sobre um cenário eleitoral em 2018 que não tivesse o ex-presidente. O petista fez referência a "governadores em três Estados importantes" filiados ao partido, mas, nessa resposta, citou nominalmente apenas Haddad, que não ocupa cargo político atualmente e nunca concorreu ao posto de governador.

Juca Varella - 16.jul.14/Folhapress
Lula enxerga Haddad como candidato do PT em 2018 caso não dispute a eleição

Sobre os "governadores de Estados importantes", Lula citou Rui Costa, da Bahia, Camilo Santana, do Ceará, e Fernando Pimentel, de Minas Gerais. O PT também tem como chefes de unidades federativas Tião Viana, do Acre, e Wellington Dias, Piauí. "Um governador de um Estado importante tem cacife para ser candidato [ao Planalto]", avaliou o ex-presidente. "Acontece que uma liderança política você não cria todo dia", disse.

Lula, porém, disse que, agora, tem "obsessão de voltar" à Presidência para "provar que é possível recuperar esse país".

Concorrentes

Sobre possíveis concorrentes, ele desdenhou do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ), que aparece em segundo lugar na disputa presidencial, de acordo com a última pesquisa Datafolha. "Eu acho que ele não disputa [a Presidência] e, se disputar, não tem chance porque pessoas terão vergonha em dizer que irão votar numa pessoa tão reacionária".

A respeito de um de seus principais críticos, o atual prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), Lula disse que ele "tem que provar". "Doria, por enquanto, não é nada. Ele é só um 'João Trabalhador' que não trabalha. Não adianta fugir para ser candidato. Governe São Paulo, faça o que você dizia que iria fazer".

Numa comparação com o antecessor de Doria no cargo de prefeito paulistano, o ex-presidente vê uma vantagem do tucano. "Ele tem a imprensa unanimemente favorável a ele. O Haddad tinha contra". Mas o Haddad, em vez de ficar brigando, ele chorava demais, reclamava demais".

'O PT errou'

O ex-presidente ainda avalia que seu partido cometeu equívocos. "O PT errou porque tinha nascido para mudar o jeito de fazer política neste país". O erro teria sido aceitar o "jogo de fazer campanha nos moldes em que os outros partidos faziam". "Agora, o PT errou, mas não cometeu 10% dos erros que eles falam que o PT cometeu".

Lula acredita que o partido paga um preço pelos equívocos, "tenta se corrigir a cada eleição", e que sabe que a sociedade tem razão em cobrar do PT.

Agora, as pessoas sabem que o PT não fez nada de diferente do que a política brasileira faz desde que teve a primeira eleição neste país

Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente da República

Com bens bloqueados, Lula ironiza Moro sobre perua roubada

Perua roubada

Na mesma entrevista, o ex-presidente também ironizou o fato de o juiz federal Sergio Moro ter negado o sequestro de uma perua de propriedade  por ela ser antiga. "O juiz Moro, ele foi condescendente comigo, ele deixou uma perua F1000 de 1984, que foi roubada em 2002", disse Lula.

Na quarta-feira (19), Moro pediu o sequestro de três apartamentos do ex-presidente, além de um terreno, dois automóveis, e mais de R$ 606 mil em quatro contas bancárias do petista. Os valores serão usados para reparar R$ 16 milhões em danos a Petrobras.

Sobre a perua, Moro disse que o veículo não tem "valor representativo". Lula, porém, disse que agora torce para que a encontrem. "Deus queira que eles achem ela e me devolvam para eu poder curtir a minha perua", disse, lembrando um fato inusitado: "Você sabe que roubaram ela no dia em que eu deixei de fazer o seguro. Eu não quis fazer seguro porque ela já estava velha".

Lula é condenado por corrupção; o que acontece agora?

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos