Operação Lava Jato

PT promete vigília em Porto Alegre para julgamento de Lula no TRF-4

Nathan Lopes

Do UOL, em São Paulo

  • 29.out.2017 - Ricardo Stuckert/Instituto Lula

    Partido planeja atos em defesa de Lula e para fortalecer a imagem do ex-presidente

    Partido planeja atos em defesa de Lula e para fortalecer a imagem do ex-presidente

A Executiva do PT no Rio Grande do Sul pretende organizar caravanas no Estado com destino a Porto Alegre para uma vigília em apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva Lula (PT) no dia 24 de janeiro, quando sua apelação será julgada pelo TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região). Por enquanto, a presença de Lula nessas caravanas não está prevista.

"Vai pipocar coisa acontecendo em todo o canto do país. Ele [Lula] não vai ter condição de ir a todos os lugares", disse ao UOL o presidente do diretório estadual, deputado federal Pepe Vargas (PT-RS).

Lula foi sentenciado em julho pelo juiz Sergio Moro a nove anos e seis meses de prisão e espera em liberdade o julgamento do recurso no tribunal de Porto Alegre.

Com essas movimentações, o PT gaúcho quer reafirmar "a defesa intransigente da democracia e do direito de Lula ser candidato em 2018". Para Vargas, as ações a favor de Lula "vão fortalecer a figura dele independentemente do que o Tribunal decidir". 

O ex-presidente foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no processo do tríplex. Caso o TRF-4 confirme a condenação de Lula, no julgamento marcada para janeiro, o petista poderia ficar fora da disputa presidencial de 2018. Atualmente, o ex-presidente lidera todas as pesquisas de intenção de votos para a disputa pelo Planalto.

  • 51472
  • true
  • http://noticias.uol.com.br/enquetes/2017/12/12/voce-acha-que-lula-sera-candidato-em-2018.js

"Podem condenar o Lula, mas vão condenar através da quebra do processo penal", disse o deputado, que acredita que, na sentença em que Lula foi sentenciado por Moro, não há fatores que apontem a culpa do presidente, o qual seria alvo de perseguição política.

As manifestações também servirão para propagar um discurso que foi acertado na reunião do diretório nacional do partido, realizada no último final de semana: o de que Lula será candidato em todas as hipóteses, mesmo condenado ou preso.

A primeira dessas ações foi realizada nesta terça-feira (19), com uma "aula pública", encabeçada pela Frente Brasil Popular, em frente à sede do TRF-4, em Porto Alegre, para dizer que "eleição sem Lula é golpe".

Também nesta terça-feira (19), o PT também convocou seus militantes a estarem em Porto Alegre em 24 de janeiro. "Convocamos todos e todas a defender a democracia, a justiça e o ex-presidente Lula. Não podemos permitir que a Justiça seja instrumento da política", dizia o comunicado publicado nas redes sociais.

Para acertar detalhes dos atos, a Executiva Estadual já agendou uma reunião para 27 de dezembro. Na ocasião, pretende-se orientar as lideranças regionais. Também há interesse de envolver movimentos sociais e sindicais em prol de Lula. "Como direção estadual, temos uma responsabilidade maior [na organização de atos]", observou o deputado, que salientou que o PT pretende levar observadores internacionais a Porto Alegre para o julgamento no TRF-4.

Além das caravanas, que devem ser definidas na semana que vem, está prevista uma convocação para atos e atividades em cidades gaúchas no dia 13 de janeiro, "data de mobilização nacional em defesa do Lula".

O objetivo das ações em janeiro também é atingir brasileiros que não tenham ligação com o partido, segundo Vargas. "Como esse assunto [julgamento da apelação] vai estar muito em voga, esperamos esclarecer a população".

Discurso

Desde que o julgamento da apelação de Lula foi agendado para janeiro, as lideranças do PT têm focado na visão de que haveria dúvidas entre membros do Judiciário a respeito dos processos de Lula na Lava Jato. Explicar as ações seria uma forma de conquistar maior apoio a Lula tanto na questão jurídica quanto eleitoral.

O partido tem a posição de que há falhas nos processos e de que ele disputará a eleição, mesmo condenado. "Não há como ser tirado o direito do presidente Lula ser candidato antes do registro de candidatura. Ele é candidato até lá e depois de lá [registro de candidatura]", disse a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), após a reunião do diretório nacional.

Segundo lideranças petistas, o PT não considera a possibilidade de um "plano B" para o caso de Lula ser barrado pela lei da Ficha Limpa, se condenado em segunda instância, por, além de acreditar na inocência de Lula, não querer "comprar o discurso da oposição".

No dia seguinte ao agendamento, em encontro das bancadas do PT na Câmara e no Senado, militantes já haviam sido convocados para irem a Porto Alegre em 24 de janeiro.

Atual líder do PT na Câmara, o deputado federal Carlos Zarattini (PT-SP) pediu os presentes na reunião das bancadas do PT no Congresso para se programarem para ir à capital gaúcha no final do mês que vem. "Dia 24 de janeiro, vamos para Porto Alegre também. Todos lá em Porto Alegre".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos