Topo

Protesto em João Pessoa (PB) tem repórter ferido e depredação a prédio de emissora

João Fernando
Prédio da TV Cabo Branco, emissora afiliada da rede Globo, em João Pessoa Imagem: João Fernando

Colaboração para o UOL, em João Pessoa

06/04/2018 21h12Atualizada em 06/04/2018 22h24

Protestos contra a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) terminaram em violência nesta sexta-feira (6) em João Pessoa (PB). Algumas pessoas depredaram o prédio da TV Cabo Branco, emissora afiliada da rede Globo. Um repórter da Band News FM Manaíra que registrava o momento com o celular acabou agredido pelos manifestantes.

Oscar Neto sofreu escoriações pelo corpo. O repórter registrou queixa e fez exame de corpo de delito. 

Leia também:

Em nota, o sistema Opinião, do qual a Band News FM Manaíra faz parte, afirmou que o repórter "foi agredido covardemente por um grupo de quatro integrantes, durante a cobertura dos protestos contra a prisão do ex-presidente Lula". Informou também que repudia não só a "violência sofrida pelo colaborador, como qualquer tentativa de cercear o trabalho da imprensa livre, pilar fundamental de qualquer democracia".

Em áudio enviado por aplicativo de mensagens, o repórter pediu ajuda aos colegas: "Pessoal, agora é sério! Quatro caras me cercaram, me deram uma surra aqui. Jogaram meu celular no chão, meu gravador no chão. Eu pensei que eu ia morrer. É sério".

Ataque à afiliada da Globo

A agressão ao repórter da Band News se deu durante protesto em frente ao prédio da TV Cabo Branco, afiliada da Rede Globo na capital paraibana. Manifestantes jogaram pedras em janelas e portas de vidro, quebraram um portão e picharam as paredes com expressões como "Globo golpista" e "Lula livre".

A TV Cabo Branco disse que vai entregar as imagens do protesto para a polícia para que os responsáveis sejam identificados pelos atos, e que o que aconteceu é "caso de polícia".

De "tô tranquilo" a "pronto para prisão": o que Lula já disse da condenação

UOL Notícias