PUBLICIDADE
Topo

Política

Bolsonaro reúne ministros e diz que seu governo mudará o país de direção

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, faz reunião ministerial em Brasília - Rafael Carvalho/Divulgação/Governo de Transição
O presidente eleito, Jair Bolsonaro, faz reunião ministerial em Brasília Imagem: Rafael Carvalho/Divulgação/Governo de Transição

Gustavo Maia

Do UOL, em Brasília

19/12/2018 11h50Atualizada em 19/12/2018 14h28

Reunido com os 22 ministros escolhidos para compor seu governo na manhã desta quarta-feira (19), o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), usou o Twitter para anunciar a intenção de mudar "a direção que governos anteriores colocaram o Brasil".

"Em Brasília, onde passaremos o dia com futuros ministros, recebendo informações e estabelecimentos de metas iniciais para que comecemos agindo de forma efetiva no dia primeiro de janeiro de 2019. Não há dúvidas que mudaremos a direção que governos anteriores colocaram o Brasil!", escreveu Bolsonaro.

O primeiro encontro do presidente eleito com toda a equipe ministerial ocorre a 12 dias da posse, na Granja do Torto, em Brasília.

O local é uma das residências oficiais da Presidência da República, e tem sido utilizado por Bolsonaro e sua família há quase um mês. Quando tomar posse, ele vai se mudar para o Palácio da Alvorada, também na capital federal.

Os futuros ministros chegaram de carro na Granja do Torto entre as 9h e as 10h, horário marcado para o início da reunião. Bolsonaro embarcou do Rio de Janeiro para Brasília por volta das 7h, e chegou à residência às 9h16. Nenhum deles deu entrevista na chegada.

O objetivo da reunião é que cada um dos futuros ministros apresente dados sobre as áreas de atuação de suas respectivas pastas ao longo do processo de transição, sediado no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), em Brasília.

Os integrantes do primeiro escalão do governo Bolsonaro também foram orientados a estabelecer metas iniciais e propor as primeiras medidas que querem implementar quando assumirem.

Na sala em que acontece a reunião, Bolsonaro está sentado entre o deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS), coordenador do governo de transição, e o vice-presidente eleito, general Hamilton Mourão (PRTB).

Os futuros ministros estão posicionados em mesas dispostas em formato de 'U', diante de um projetor que exibe apresentações em um telão.

A previsão é que Bolsonaro não fale com a imprensa após o encontro, que deve se estender até as 16h. Ele tem voo de volta ao Rio previsto para as 19h.

Veja quem serão os 22 ministros de Bolsonaro, por pasta:

  • Casa Civil - Onyx Lorenzoni
  • Economia - Paulo Guedes
  • Justiça e Segurança Pública - Sergio Moro
  • Gabinete de Segurança Institucional - General Augusto Heleno
  • Defesa - General Fernando Azevedo e Silva
  • Saúde - Luiz Henrique Mandetta
  • Educação - Ricardo Velez Rodriguez
  • Ciência e Tecnologia - Marcos Pontes
  • Mulher, Família e Direitos Humanos - Damares Alves
  • Secretaria de Governo - General Carlos Alberto dos Santos Cruz
  • Secretaria-Geral da Presidência - Gustavo Bebianno
  • Turismo - Marcelo Álvaro Antônio
  • Relações Exteriores - Ernesto Araújo
  • Agricultura - Tereza Cristina
  • Minas e Energia - Bento Costa Lima
  • Infraestrutura - Tarcísio Gomes de Freitas
  • Cidadania - Osmar Terra
  • Meio Ambiente - Ricardo Salles
  • Desenvolvimento Regional - Gustavo Canuto
  • Transparência e CGU (Controladoria-Geral da União) - Wagner Rosário
  • Banco Central* - Roberto Campos Neto
  • Advocacia-Geral da União* - André Luiz de Almeida Mendonça

*Futuramente, podem perder status de ministério

Política