Topo

Após Bolsonaro passar mal, filho diz que presidente "acordou bem"

Nathan Lopes

Do UOL*, em São Paulo

03/02/2019 11h17Atualizada em 03/02/2019 17h17

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) acordou melhor neste domingo (3) depois de ter se sentido mal no sábado (2). A informação foi divulgada pelo vereador carioca Carlos Bolsonaro (PSC), filho do presidente, que o acompanha no hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde ele se recupera de uma cirurgia para retirada da bolsa de colostomia, realizada na última segunda-feira (28).

"Hoje, meu pai acordou bem e animado! Agradeço aos médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e todos os envolvidos em sua melhora! Pela manhã só notícias boas!", escreveu Carlos em seu perfil no Twitter. 

No sábado, o hospital divulgou boletim médico em que apontou que Bolsonaro teve "um episódio de náuseas e vômito". Bolsonaro está utilizando uma sonda nasogástrica para a retirada de excesso de líquido do estômago.

O boletim ainda apontou que o político está "sem dor, afebril e com exames laboratoriais normais". O Einstein ainda não divulgou informações a respeito do estado de saúde do presidente neste domingo. 

Neste domingo, o presidente já passou por uma primeira avaliação médica e, por volta das 10h, estava em repouso.

No sábado, Carlos disse que seu pai havia tido uma recaída durante a tarde, mas que ele estava "nas mãos de profissionais excepcionais" e que a situação tinha se normalizado. 

Essa foi a primeira piora de Bolsonaro desde a cirurgia. Nos dias anteriores, o presidente apresentava melhoras gradativas e sucessivas e chegou a ser advertido pelos médicos por ter realizado videoconferências. A recomendação é que se poupe e evite falar enquanto se recupera.

Enquanto se recuperava da recaída, Bolsonaro acompanhou pela televisão a partida em que o Palmeiras, seu time, perdeu por um a zero para o Corinthians. O jogo aconteceu ao mesmo tempo em que o Senado estava reunido para, em uma sessão tumultuada, eleger  Davi Alcolumbre (DEM-AP) como novo presidente da Casa. Davi é aliado a Onyx Lorenzoni (DEM), ministro-chefe da Casa Civil.

 A previsão é que Bolsonaro deixe o hospital entre quarta (6) e quinta (7). (Com Agência Brasil)

Ainda internado, Bolsonaro passa mal e usa sonda para alimentação

redetv

Mais Política