Topo

Quem pede fechamento do Congresso ou STF está em ato errado, diz Bolsonaro

Do UOL, em São Paulo e em Brasília

2019-05-26T12:54:07

2019-05-26T16:59:56

26/05/2019 12h54Atualizada em 26/05/2019 16h59

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) voltou ao Twitter hoje para comentar as manifestações que ocorrem em favor do governo em diversas cidades. Segundo o presidente, quem pede o fechamento do STF (Supremo Tribunal Federal) e do Congresso "estaria na manifestação errada".

"Há alguns dias atrás, fui claro ao dizer que quem estivesse pedindo o fechamento do Congresso ou STF hoje estaria na manifestação errada. A população mostrou isso. Sua grande maioria foi às ruas com pautas legítimas e democráticas, mas há quem ainda insista em distorcer os fatos", postou o presidente.

Apesar da mensagem do presidente, foram vistos vários cartazes nas manifestações com críticas aos presidentes da Câmara, do Senado e aos ministros do STF.

Em seu Facebook, Bolsonaro compartilhou uma foto de uma idosa com cores do Brasil com a legenda: "Presidente, Ministros, Senadores, Deputados, Governadores, Prefeitos, Vereadores, Juízes, olhem a nossa responsabilidade".

A hashtag de apoio às manifestações deste domingo (26) a favor do governo, #BrasilNasRuas, ocupava mais cedo o topo dos trending topics do Twitter. Apesar de anunciar que não participaria dos atos, o presidente publicou três vídeos de apoiadores feitos no Rio de Janeiro, em São Luís e em Juiz de Fora (MG).

No Rio, a concentração acontece na praia de Copacabana, na zona sul. Grande parte dos manifestantes usa roupas e porta bandeiras nas cores verde e amarela. Um boneco do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), segurando um saco de dinheiro foi colocado ao lado do boneco do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vestido de presidiário, apelidado de "pixuleco".

Pautas diversas foram citadas pelos manifestantes no Rio. Um dos trios elétricos servia de palco para um discurso que pedia intervenção militar provisória para dar mais poderes ao presidente. Outros apoiadores do governo defendiam a reforma da Previdência e o pacote anticrime apresentado pelo Ministério da Justiça, e criticavam o STF (Supremo Tribunal Federal) e políticos do Centrão e de esquerda.

Manifestações também são ironizadas

Nos trending topics do Twitter, aparece em segundo lugar a hashtag #FoliaDosCusProlapsados, que ironiza as manifestações de hoje. Ela faz referência a um discurso feito pela deputada federal Dayane Pimentel (PSL-BA) no plenário da Câmara no dia dos protestos pela educação.

Diante do ministro Abraham Weintraub, que fora convocado a prestar esclarecimentos sobre o contigenciamento de verbas na pasta, ela afirmou que muitos dos investimentos em educação estavam indo para pesquisas que não gostaria que seu filho e seus alunos lessem. E citou a dissertação "A folia dos cus prolapsados: pornografia bizarra e prazeres sexuais entre mulheres", elaborada no Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal de Pernambuco.

Atos tiveram muitas menções na web na semana

As manifestações de apoio ao governo Jair Bolsonaro (PSL) foram muito mais comentadas nas redes sociais do que os atos realizados no último dia 15 contra os cortes na Educação, comparando-se as vésperas de ambas as mobilizações, de acordo com o Torabit, plataforma de inteligência de dados. O levantamento foi obtido pelo UOL com exclusividade.

O Torabit identificou 27 mil menções aos atos contra os cortes na Educação entre os dias 10 e 14 deste mês. Isto representa apenas pouco mais de 10% das 250 mil menções pró-governo analisadas pela plataforma entre o dia 20 e a manhã do dia 24.

A análise leva em consideração os comentários e discussões feitos no Twitter, no Facebook, Instagram, YouTube e Medium, além de blogs e sites, e exclui as mensagens postadas por robôs.

Mais Política