Topo

Estudantes protestam contra Witzel após serem barrados na UFF

Marina Lang

Do UOL, no Rio de Janeiro

15/08/2019 16h15Atualizada em 16/08/2019 16h04

A Polícia Militar do Rio fez uma contenção de estudantes da UFF (Universidade Federal Fluminense) na tarde de hoje para evitar que eles protestassem contra o governador Wilson Witzel (PSC), que apresentou a sua banca de qualificação na universidade.

Membros do estafe do governo fluminense tentaram despistar manifestantes e jornalistas durante a apresentação. O governador apresentou a qualificação de doutorado no prédio que abriga a faculdade de administração no campus do Valonguinho, no centro de Niterói, às 14h.

O acesso ao segundo andar do prédio foi interditado por seguranças do governo estadual. A reportagem do UOL foi impedida de acessar a banca de qualificação.

O local da banca foi mudado após os estudantes terem marcado um protesto diante do prédio de pós-graduação de ciências humanas e políticas, em outro campus da UFF.

Quatro policiais seguraram uma porta na tentativa de impedir os estudantes de passarem e seguirem a comitiva de Witzel. O governador desceu do elevador sob forte aparato de segurança. Ele saiu sem falar com a imprensa e acenou para os manifestantes, sob gritos de "fascista" e "assassino".

"Era um protesto simbólico contra a política de segurança pública do Rio de Janeiro. Ele tentou nos despistar, foi muito arbitrário. Os seguranças do Witzel foram truculentos. Achei a forma como a PM entrou na universidade muito violenta. Há um nível de conforto para fazer isso dentro da universidade", disse o estudante de história Rafael Carvalho, 25.

Ainda de acordo com o estudante, o objetivo do protesto era questionar as mortes de seis jovens pela polícia nesta semana.

Procurada pela reportagem, a assessoria do político do PSC emitiu nota sobre os protestos: "O governador Wilson Witzel respeita qualquer manifestação, desde que ocorra dentro dos limites legais e da democracia."

A PM afirmou em comunicado que "a corporação tem o dever constitucional de garantir a segurança e a integridade física tanto do governador do Estado como das demais autoridades constituídas democraticamente. A presença dos policiais militares no Campus da UFF foi solicitada pela própria Universidade".

Em nota, a UFF informou que "o esquema de segurança foi organizado pela equipe do governador, só eles possuem detalhes sobre o seu planejamento. Os PMs no prédio foram acompanhando a comitiva do governador. Neste evento, a relação da UFF com o governador foi uma relação de uma instituição de ensino com o seu estudante".

Contudo, a UFF e o estafe de Witzel não divulgaram qual foi o resultado da banca de qualificação. A justificativa é de que se trata de "assunto privado".

Mais Política