Topo

Bolsonaro faz "live" relâmpago mesmo com sonda: "Determinação médica"

Do UOL, em São Paulo

12/09/2019 19h16

Jair Bolsonaro (PSL) manteve hoje (12) a rotina de falar semanalmente em live no Facebook, mas a transmissão durou exatos três minutos e nove segundos. Sentado no quarto do hospital Vila Nova Star, de São Paulo, e usando sonda nasogástrica, o presidente da República fez breves anúncios e disse que os médicos definiram que este pronunciamento seria curto.

"São Paulo, quinta-feira, 12 de setembro. Essa live não pode durar mais do que dois minutos por determinação médica. Então vamos lá. Como toda semana, temos muita coisa boa para informar ao Brasil", afirmou Bolsonaro.

O presidente deu destaque à visita do médico Luiz Henrique Borsato, que comandou a equipe responsável por seu atendimento após a facada sofrida em setembro de 2018, em Juiz de Fora (MG). Mais cedo hoje, Bolsonaro publicou uma foto ao lado do profissional e de Antonio Luiz Macedo, o médico que o atende em São Paulo.

"Hoje, pela manhã, recebi a visita de uma pessoa que salvou minha vida, juntamente com seus colegas, lá em Juiz de Fora. O doutor Luiz Henrique Borsato foi chefe da equipe médica naquele 6 de setembro do ano passado. Ele contou, com detalhes, que por questão de milímetros a faca não atingiu pontos vitais. Ela passou a milímetros do fígado, do estômago, do coração. É uma visita que não tinha como não me emocionar", disse.

"Então, doutor Luiz Henrique Borsato e equipe médica de Juiz de Fora, muito obrigado mais uma vez a todos vocês. Neste bate-papo de três minutos, estava ao meu lado também o doutor Antonio Luiz Macedo, que agora trabalha aqui no Vila Nova Star. Ele me atendeu no passado no [hospital] Albert Einstein. Agradeço a estes profissionais pela minha vida, e a Deus em primeiro lugar", completou.

Na live, Bolsonaro citou os assuntos que estavam pautados, mas que não puderam ser detalhados por causa de sua condição física: a MP (Medida Provisória) que criará a carteirinha digital de estudante; outra MP destinada ao pagamento de pensão vitalícia para crianças com microcefalia causada por zika; um suposto recorde de apreensão de cocaína pela polícia federal; e as repercussões da isenção de visto para turistas de determinadas nacionalidades.

A transmissão foi feita minutos após o porta-voz do Palácio do Planalto, Otávio Rêgo Barros, informar que Bolsonaro ficará afastado da Presidência por pelo menos mais quatro dias, em recuperação após cirurgia sofrida no último domingo (8).

reprodução/Facebook
Imagem: reprodução/Facebook

Mais Governo Bolsonaro