PUBLICIDADE
Topo

Vice-governador do Pará é alvo de operação por fraude em merenda escolar

O vice-governador do Pará, Lúcio Vale - Câmara dos Deputados
O vice-governador do Pará, Lúcio Vale Imagem: Câmara dos Deputados

Do UOL, em São Paulo

12/12/2019 10h03Atualizada em 12/12/2019 11h50

O vice-governador do Pará, Lúcio Vale (PL-PA), é um dos alvos da operação que a Receita Federal, Polícia Federal e CGU (Controladoria Geral da União) fazem hoje contra fraudes em licitações e desvio de recursos públicos federais para de merendas escolares. Dez prefeituras do Pará também são alvo.

Segundo apuração da PF, entre 2010 e 2017, ocorreram participações das mesmas empresas em várias licitações, entrega de merenda escolar não realizada e pagamento indevido a agentes públicos.

Estima-se que o desvio de verba pública do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) chegue a R$ 39 milhões.

São cumpridos quatro mandados de prisão temporária, 10 mandados de prisão preventiva e 26 mandados de busca e apreensão.

Lúcio Vale é suspeito de participar do esquema de fraudes em licitações. Buscas foram feitas na casa do político e na sede do governo estadual. Em nota, o governo do Pará disse que a investigações se refere a fatos ocorridos antes de Vale ser eleito vice-governador na chapa de Helder Barbalho.

"Sobre a operação ocorrida pela manhã, o Governo do Estado do Pará esclarece: os supostos fatos investigados teriam ocorrido entre 2010 e 2017, portanto antes do início do governo e sem relação com a vice-governadoria. O Governo do Estado tem plena confiança no esclarecimento dos fatos e na Justiça", diz o comunicado.

De acordo com as investigações, o esquema de fraudes atingiu os municípios de Viseu, Ipixuna do Pará, Mãe do Rio, Ourém Santa Maria do Pará, São Caetano de Odivelas, São Miguel do Guamá, Marituba, Ourém, Santa Maria do Pará e Cachoeira do Piriá.

Política