PUBLICIDADE
Topo

Bolsonaro diz ser "direito" dos EUA deportar brasileiros ilegais no país

25.jan.2020 - O presidente Jair Bolsonaro e o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, em encontro em Nova Déli - Altaf Hussain/Reuters
25.jan.2020 - O presidente Jair Bolsonaro e o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, em encontro em Nova Déli Imagem: Altaf Hussain/Reuters

Do UOL, em Brasília*

25/01/2020 11h56Atualizada em 25/01/2020 13h05

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou hoje ser um "direito" do governo dos Estados Unidos deportar brasileiros em situação ilegal no país. A declaração foi dada em entrevista na Índia, onde se encontra em visita oficial.

"Olha, o que eu falar aqui vai dar polêmica. Tá certo? Acho que em qualquer país, as suas leis têm de ser respeitadas. Em qualquer país do mundo onde pessoas estão lá de forma clandestina é direito daquele chefe de Estado, usando da lei, devolver esses nacionais", disse.

Um grupo de brasileiros deportados dos Estados Unidos desembarcou na noite de ontem no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins. O voo fretado pelo governo americano partiu de El Paso, no Texas, e aterrissou no Brasil por volta das 23h55.

De acordo com informações passadas ontem pelo governo americano ao Ministério das Relações Exteriores, são cerca de 70 pessoas — o número exato ainda é desconhecido pelas autoridades brasileiras. A checagem final ainda não foi divulgada.

O governo Bolsonaro tem facilitado a deportação de cidadãos que vivem ilegalmente nos Estados Unidos, segundo a agência Reuters. Em outubro do ano passado, 70 pessoas foram deportadas num avião fretado. Os voos são os primeiros autorizados pelo Brasil desde 2006.

Ainda segundo a agência, o número de brasileiros presos pela ICE (Agência de Imigração e Alfândega dos EUA) na fronteira com o México subiu para 17.900 no ano fiscal de 2019, um aumento de mais de dez vezes em relação ao ano anterior, segundo dados do governo americano.

Questionado se teria conversado com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre as deportações, Bolsonaro respondeu que não.

"Ficou no campo da chancelaria. Lamento que muitos brasileiros foram buscar novas oportunidades lá fora e voltem deportados. Lamento, mas a política tem que respeitar a soberania de outros países", disse.

O presidente também aproveitou para criticar a lei de imigração brasileira. "Nenhum país do mundo tem isso que temos lá, é uma vergonha. O pessoal chega no Brasil com mais direito que nós. Isso não pode acontecer. Se abrir as portas como está previsto, o País pode receber um contingente muito grande", falou.

A lei de imigração vigente no país data de 2017 e foi sancionada pelo então presidente Michel Temer (MDB). Críticos entendem que ela facilita demais a entrada de estrangeiros no País, enquanto apoiadores afirmam que trata a questão pelo enfoque dos direitos humanos e do desenvolvimento econômico do País, e não mais como um tema apenas de segurança nacional, como era o caso do antigo Estatuto do Estrangeiro, de 1980 - época da ditadura militar.

*Com Estadão Conteúdo

Política