PUBLICIDADE
Topo

Jornal: Bolsonaro alertou apoiadores contra faixas antidemocráticas em ato

Presidente Jair Bolsonaro avisou a deputados que não compareceria nas manifestações do último domingo caso houvesse dizeres pró-golpe - Mateus Bonomi/Agif/Estadão Conteúdo
Presidente Jair Bolsonaro avisou a deputados que não compareceria nas manifestações do último domingo caso houvesse dizeres pró-golpe Imagem: Mateus Bonomi/Agif/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

27/05/2020 10h30Atualizada em 27/05/2020 13h17

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) avisou apoiadores que não participaria mais das manifestações de simpatizantes em frente ao Palácio do Planalto se houvesse a presença de faixas antidemocráticas e favoráveis a intervenção militar — como acontecia até então nas manifestações —, informou hoje o jornal O Globo.

O presidente teria passado o recado e, a mando dele, as deputadas Alê Silva (PSL-MG), Bia Kicis (PSL-DF) e Carla Zambelli (PSL-SP) repassaram a mensagem em grupos de apoiadores no WhatsApp.

No último domingo, o ato na Esplanada do Ministérios não teve gritos e faixas contra o Congresso Nacional ou ao Supremo Tribunal Federal. Mas apoiadores seguravam cartazes com frases como "Supremo é o Povo" e "o Poder emana do povo" e "o povo é Bolsonaro".

O presidente chegou a sobrevoar a manifestação acompanhado pelo ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno e o deputado federal Hélio Lopes (PSL-RJ).

Após pousar na Vice-Presidência do Planalto, Bolsonaro foi caminhar ao lado da grade em que estavam os simpatizantes.

Ele começou o trajeto de máscara, mas retirou o equipamento de proteção ao se aproximar mais do grupo de manifestantes — desrespeitando as orientações da saúde e do próprio Distrito Federal que obriga o uso de máscaras em razão da pandemia de coronavírus.

A realização de manifestações antidemocráticas e a suposta participação de parlamentares da base de apoio de Bolsonaro na organização desses atos têm sido investigada no âmbito de um inquérito no STF (Supremo Tribunal Federal) que apura notícias falsas e ameaças contra membros da corte.

Governo Bolsonaro