PUBLICIDADE
Topo

Política

MPF investiga se avião da FAB levou garimpeiros para reunião com Salles

Garimpeiros foram até Brasília para reunião com Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente; FAB alegou que transporte era para lideranças indígenas - Adriano Machado/Reuters
Garimpeiros foram até Brasília para reunião com Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente; FAB alegou que transporte era para lideranças indígenas Imagem: Adriano Machado/Reuters

Do UOL, em São Paulo

21/08/2020 14h48Atualizada em 22/08/2020 10h49

O MPF (Ministério Público Federal) investiga desde ontem o uso de uma aeronave da FAB (Força Aérea Brasileira) para transportar garimpeiros do Pará até Brasília no início do mês de agosto.

A FAB confirmou por um documento enviado ao órgão que cedeu um avião para levar "lideranças indígenas" das terras Munduruku até a capital federal no dia 6 de agosto para uma reunião com o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

O ministro estava na região de Jacareacanga, no Pará, um dia antes da viagem e se encontrou com garimpeiros alvos de investigação do Ibama (Instituto Brasileiro e e dos Recursos Naturais Renováveis).

A mesma região recebeu aeronaves da FAB para auxiliar na operação Operação Verde Brasil 2 contra crimes ambientais — organizada pelo Ibama. A operação foi suspensa e, depois de retomada, não conseguiu localizar o maquinário usado pelos criminosos.

O pedido de uso do avião foi feito junto com o da suspensão da operação no Pará.

Lideranças indígenas das terras Munduruku enviaram uma carta para o MPF alegando que nenhuma figura que representa a etnia foi levada no avião.

Na verdade, eles alegam que sete moradores da região que defendem a mineração ilegal e são garimpeiros atuantes no interior da terra indígena Munduruku é que usaram a aeronave para a reunião com o ministro em Brasília.

O MPF apura se o houve improbidade administrativa por desvio de finalidade — já que o avião de um dos órgãos das Forças Armadas transportou garimpeiros e não ajudou na operação contra eles.

Procurada pela reportagem, o Ministério do Meio Ambiente afirmou que "tanto a decisão de interromper a Operação Verde Brasil 2 quanto a iniciativa de levar os indígenas para Brasília foram tomadas exclusivamente pelo Ministério da Defesa".

Já o Ministério da Defesa disse que ainda não foi notificado pelo MPF sobre a abertura da investigação e que prestará informações se necessário. Disse ainda que a operação suspensa já retomou os trabalhos.

Política