PUBLICIDADE
Topo

Política

Votação de Carlos prova desgaste do governo, diz presidente do Republicanos

Marcos Pereira disse que não convidou o presidente Jair Bolsonaro para o Republicanos - Pedro Ladeira/Folhapress
Marcos Pereira disse que não convidou o presidente Jair Bolsonaro para o Republicanos Imagem: Pedro Ladeira/Folhapress

Colaboração para o UOL

26/11/2020 08h42

Marcos Pereira, presidente do Republicanos, admitiu que o desempenho de Carlos Bolsonaro, vereador do partido dele, foi abaixo do esperado nas eleições municipais. Ele atribuiu isso ao desgaste do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

"O resultado desta eleição mostra o desgaste de ser governo e talvez de um extremismo que cansou a população. A expectativa no Rio era de que o Carlos tivesse 200 mil votos para vereador porque ele teve 106 mil em 2016. Mas acabou com 71 mil. Isso mostra, aliado aos demais apoiados pelo presidente Brasil afora que foram derrotados, que há desgaste natural de ser governo e das posições extremistas", afirmou Marcos, em entrevista ao jornal Valor Econômico.

Carlos não conseguiu ser o vereador mais votado do Rio de Janeiro, posto que ficou com Tarcisio Motta (PSOL). A votação do filho do presidente teve uma queda de 34% em comparação com a eleição de 2016. Aos 37 anos, ele começará o sexto mandato a partir de 2021.

Marcos Pereira também foi perguntado sobre a possibilidade de aceitar Jair Bolsonaro no Republicanos. Ele disse que não convidou o presidente e indicou que só fará isso sob algumas condições.

"Se as condições forem ter o comando da legenda, então não tem condições de o presidente vir para o Republicanos", afirmou Marcos, que entende que Jair Bolsonaro precisa mudar a postura para ter mais chances de se reeleger: "Se o presidente não se reposicionar, se não vier mais para o centro, continuará sendo forte candidato, mas terá muita dificuldade", concluiu Marcos.

Política