PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
15 dias

Eduardo Bolsonaro critica STF por CPI da Covid e fala em 'esculhambação'

Deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) - Cleia Viana/Câmara dos Deputados
Deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) Imagem: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Colaboração para o UOL

12/04/2021 23h33

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) criticou a decisão de Luís Roberto Barroso, ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), de exigir que o Senado abra uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar a postura do governo federal no combate à pandemia.

"Sou a favor de cada um no seu quadrado. Não cabe a um ministro do STF dizer o que o presidente do Senado deve ou não fazer, e isso aí você vê que abre margem para uma esculhambação", disse em entrevista ao programa Direto ao Ponto, da Jovem Pan, na noite de hoje (12)

O deputado repetiu o discurso do pai, pedindo que a comissão também investigue governadores e prefeitos. "E aí vamos ter uma arruaça de impeachments e CPIs", alegou o parlamentar. Ele ressaltou que seu pai não pediu para que a CPI da Covid fosse enterrada, mas que fosse expandida para investigar governos estaduais e municipais.

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), vai consultar técnicos da Secretaria-Geral da Mesa e da Advocacia da Casa para avaliar se o pedido de uma CPI da Covid ampla, com investigação não somente de ações do governo federal mas também de estados e municípios, é constitucional.

"Acho que é uma notória tentativa de desgastar aquele que não desviou recursos públicos, aquele que enviou bilhões para todos os estados e municípios. Com certeza se tivesse qualquer problema na gestão Jair Bolsonaro, estariam mil holofotes em cima. Agora, qual o problema daqueles que não querem ser investigados?", questionou o deputado.

Vacinação

Eduardo Bolsonaro disse que o Brasil é o quinto lugar do mundo que mais vacina contra a covid-19 e que se o governo federal fosse anti-vacina, o país deveria estar "lá atrás" no ranking. O parlamentar citou que apenas países que fabricam a própria vacina, como Estados Unidos, China, Reino Unido e Índia, lideram antes do Brasil.

O deputado afirmou que pretende se vacinar mais para frente, após pessoas idosas e com comorbidades. "Por ora estou confiando na minha pouca idade".

Política