PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
3 meses

FHC e Lula assinam nota conjunta em defesa da Argentina sobre Mercosul

FHC e Lula almoçam juntos - Ricardo Stuckert
FHC e Lula almoçam juntos Imagem: Ricardo Stuckert

Do UOL, em São Paulo*

05/06/2021 13h36

Os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT) assinaram hoje uma nota conjunta em favor da posição do presidente da Argentina, Alberto Fernández, e contra a postura do governo de Jair Bolsonaro (sem partido) sobre a redução de tarifas do Mercosul.

"Concordarmos com a posição do presidente da Argentina, Alberto Fernández, de que este não é o momento para reduções tarifárias unilaterais por parte do Mercosul, sem nenhum benefício em favor das exportações do bloco", diz a nota.

"Concordamos também que é necessário manter a integridade do bloco, para que todos seus membros desenvolvam plenamente suas capacidades industriais e tecnológicas e participem de modo dinâmico e criativo na economia mundial contemporânea", termina o comunicado.

A nota se refere a uma declaração recente do ministro da Economia do Brasil, Paulo Guedes, de apoiar a redução de 10% na Tarifa Externa Comum (TEC) e a possibilidade de os países-membros realizarem negociações comerciais independentemente de seus pares do Bloco

"Para o Brasil, nós achamos que é importante reduzirmos. Fizemos uma proposta de reduzir apenas 10%", disse o ministro durante sessão no Senado em 23 de abril. "Isso aí não machuca ninguém. Isso é só para manter todo mundo aquecido."

Essa posição colocou Guedes em choque com o ministro argentino da Economia, Martín Guzmán. Os dois trocaram farpas durante uma reunião de países do Mercosul em 26 de abril.

O governo argentino chegou a apresentar uma alternativa mais complexa, para que cada país escolhesse alguns setores econômicos e produtos para reduzir tarifas. No entanto, negociadores afirmaram que o Brasil tinha pressa para encerrar a discussão.

Na mesma reunião, o Brasil apoiou a proposta do Uruguai de reduzir em 20% a Tarifa Externa Comum (TEC) do Mercosul até o fim do ano.

Almoço e troca de elogios

FHC e Lula se reuniram em um almoço a convite de Nelson Jobim, ex-ministro da Justiça no governo do tucano, há duas semanas, e vêm trocando elogios publicamente.

"Os ex-presidentes tiveram uma longa conversa sobre o Brasil, sobre nossa democracia, e o descaso do governo Bolsonaro no enfrentamento da pandemia", escreveu o perfil oficial de Lula no Twitter.

Poucos dias antes, o político tucano havia dado uma entrevista ao programa Conversa com Bial, da TV Globo, na qual criticou o presidente Jair Bolsonaro e disse que, entre o petista e o militar reformado, votaria no primeiro nas eleições presidenciais no ano que vem, avaliando que Lula é um "democrata" que respeita as instituições republicanas.

No Twitter, Lula disse que gostou da entrevista de FHC ao talk show do jornalista Pedro Bial e que sempre teve uma "disputa civilizada" com o tucano, com quem disputou duas eleições presidenciais, em 1994 e 1998, perdendo ambas.

*Com Estadão Conteúdo

Política