PUBLICIDADE
Topo

Política

Esse conteúdo é antigo

Josias: 'Indicar Crivella a embaixada desrespeita o interesse público'

Do UOL, em São Paulo

08/06/2021 09h01Atualizada em 08/06/2021 09h30

A decisão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em indicar o ex-prefeito do Rio de Janeiro Marcelo Crivella para a embaixada do Brasil na África do Sul desrespeita o interesse público, avaliou o colunista Josias de Souza em participação no UOL News. De acordo com ele, o movimento ainda causa suspeita, é antieconômico e desafiador.

Ontem, o UOL publicou que Bolsonaro indicou Crivella para o cargo após pressão de líderes religiosos ligados à Igreja Universal do Reino de Deus. Os religiosos enfrentam há meses problemas no continente, em especial em Angola, que tem denunciado pastores brasileiros sob suspeita de lavagem de dinheiro.

Essa indicação é desrespeitosa, suspeita, antieconômica e ao mesmo tempo desafiadora. Essa escolha do Bolsonaro desrespeita o interesse público porque as principais credenciais do Crivella para virar representante dos interesses do Brasil em Pretória são uma gestão ruinosa da cidade do Rio de Janeiro e uma passagem recente pela cadeia.
Josias de Souza, colunista do UOL

O ex-prefeito Marcelo Crivella foi preso em dezembro do ano passado em uma investigação do MP-RJ que o denunciou por desvios de dinheiro público na prefeitura do Rio durante seu mandato. Mas o STF (Supremo Tribunal Federal) concedeu um habeas corpus e ele responde ao processo em liberdade.

A indicação ainda depende de aprovação do Senado, independentemente de uma possível resposta positiva da África do Sul.

"Esse despautério de indicar o Crivella é desafiador porque cabe ao Senado aprovar os escolhidos para as embaixadas. Ao analisar as credenciais do Crivella, os 81 senadores não vão julgar apenas a desqualificação desse ex-prefeito do Rio. Eles vão avaliar o próprio Senado. No limite, os senadores vão emitir um juízo sobre o tipo de país que o Brasil deseja ser", disse Josias.

Política