PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Embaixador brasileiro nos EUA comemorou doação de cloroquina, diz TV

O embaixador Nestor Forster recebeu a confirmação da liberação dos comprimidos e encaminhou a notícia para o Itamaraty -  Geraldo Magela/Agência Senado
O embaixador Nestor Forster recebeu a confirmação da liberação dos comprimidos e encaminhou a notícia para o Itamaraty Imagem: Geraldo Magela/Agência Senado

Do UOL, em São Paulo

14/06/2021 22h14

O embaixador do Brasil nos Estados Unidos, Nestor Forster, comemorou a doação de 2 milhões de comprimidos de hidroxicloroquina feita pelo governo norte-americano em maio de 2020. A informação consta em documentos que foram obtidos pela CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid e aos quais a TV Globo teve acesso.

Segundo reportagem veiculada no Jornal Nacional, Forster recebeu a confirmação da liberação dos comprimidos da então diretora para Brasil e Cone Sul do Conselho Nacional de Segurança da Casa Branca, Amy S. Radetsky. Ele então encaminhou a notícia para Norberto Moretti, então secretário de Comércio Exterior e Assuntos Econômicos do Itamaraty.

"Nestor, boas notícias — conseguimos obter as autorizações legais para enviar os 2 milhões de doses. Estamos tentando, mas não podemos confirmar se podemos enviar hoje à noite, sujeito à disponibilidade do avião", disse Radetsky em e-mail a Forster, obtido pela CPI.

A mensagem de Forster ao enviar a mensagem ao Ministério das Relações Exteriores, no dia 29 de maio, foi a seguinte: "Caro Norberto, Habemus hidroxicloroquinam!".

A hidroxicloroquina é um medicamento que não tem eficácia contra a covid-19. Em maio do ano passado, o uso do remédio já era desaconselhado pela OMS (Organização Mundial de Saúde) no tratamento do coronavírus.

Ainda hoje, o governo Bolsonaro contraria a ciência e continua defendendo o uso da cloroquina e de outros medicamentos ineficazes.

Política