PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Expulso do DEM, Maia diz que deve seguir Eduardo Paes e ir para o PSD

Em entrevista à coluna Radar, da Veja, Maia disse que a tendência é "estar junto" com Eduardo Paes, que migrou para o PSD - Danilo M. Yoshioka/Futura Press/Estadão Conteúdo
Em entrevista à coluna Radar, da Veja, Maia disse que a tendência é "estar junto" com Eduardo Paes, que migrou para o PSD Imagem: Danilo M. Yoshioka/Futura Press/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

16/06/2021 15h52Atualizada em 16/06/2021 16h14

Expulso do DEM por decisão unânime, o deputado federal Rodrigo Maia (sem partido-RJ) disse à coluna Radar, da revista Veja, que deve ir para o PSD, mas que ainda está discutindo a filiação com correligionários.

"Ainda não está definido. [O PSD] é a principal tendência, claro, mas, agora que estou sem partido, vou conversar com deputados, políticos e políticas que me ajudaram na minha trajetória, para, dialogando com eles, construir a melhor solução", afirmou o ex-presidente da Câmara.

Também à coluna, Maia disse que a tendência é "sempre estar junto com Eduardo Paes", prefeito do Rio de Janeiro, que, assim como o deputado, era filiado ao DEM e, agora, faz parte do PSD.

Gilberto Kassab, presidente do PSD, também disse para a Radar que convidou Maia para ingressar na sigla e que aguarda um retorno do político fluminense. "Ele está fazendo as avaliações dele", pontuou.

Maia foi expulso do DEM na última segunda-feira (14) durante uma reunião da executiva nacional da sigla. O partido considerou que o deputado cometeu "infração disciplinar" ao ofender o presidente nacional da legenda, ACM Neto (BA).

No mês passado, Maia publicou uma série de ofensas ao político baiano nas redes sociais. Mais cedo, ACM havia criticado o governador São Paulo, João Doria (PSDB), pela filiação do vice-governador do estado, Rodrigo Garcia, do DEM para o PSDB.

À época, Maia já havia anunciado a intenção de pedir a desfiliação da sigla ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral). O apoio de parte do DEM ao deputado Arthur Lira (PP-AL) na eleição para a presidência da Câmara foi um dos motivos que levaram Maia a brigar com ACM Neto.

Após o anúncio da expulsão, Maia voltou a atacar ACM, comparando-o a Tomás de Torquemada, inquisidor-geral do final do século 15 que ficou conhecido por perseguir judeus, bígamos, homossexuais e bruxas.

Maia estava no DEM desde 2007, ano em que a sigla adotou o nome no lugar de PFL. Ele foi presidente do partido entre 2007 e 2011, além de presidente da Câmara de 2016 até o início deste ano.

Política