PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
15 dias

Em evento no RN, Bolsonaro pede que menina de 10 anos retire máscara

Lucas Valença

Do UOL, em Brasília

24/06/2021 13h01Atualizada em 24/06/2021 15h47

Em evento em Jucurutu (RN), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pediu que uma criança de 10 anos tirasse a máscara de proteção individual, medida sanitária recomendada pelas autoridades de saúde contra a pandemia do novo coronavírus.

O ato ocorreu quando ela recitava uma poesia na abertura da cerimônia, O presidente também voltou a atacar a imprensa e negou as supostas irregularidades com relação à aquisição da vacina Covaxin.

Ao começar a recitar um poema próprio, uma menina de 10 anos, que subiu ao palco, foi aconselhada pelo presidente a retirar a máscara, o que foi cumprido.

Jair Bolsonaro também voltou a atacar o trabalho da imprensa, três dias depois de atacar uma repórter da TV Vanguarda, filial da TV Globo no interior de São Paulo.

Eu não tenho que dar entrevistas. Eu não tenho que responder perguntas de muitos idiotas."
Jair Bolsonaro

Covaxin

O presidente, porém, refutou as suspeitas de irregularidades na aquisição de imunizantes. Segundo ele, a atual gestão "está completando dois anos e meio sem nenhuma acusação sequer de corrupção". A fala acontece um dia depois de um ministro alvo de investigações, Ricardo Salles, pedir demissão do governo federal.

Horas depois, ainda ontem, o ministro Onyx Lorenzoni, da Secretaria-Geral da Presidência, disse que ele determinara à Polícia Federal que investigue a declaração de Luís Miranda (DEM-DF). Foi o deputado quem, no início da semana disse a O Estado de S. Paulo ter alertado Bolsonaro e o então ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, sobre um suposto esquema de corrupção envolvendo a compra da Covaxin.

Não adianta inventar vacina, porque não recebemos uma dose sequer dessa (Covaxin), que entrou na 'ordem do dia' da imprensa ontem."
Jair Bolsonaro

Ataques ao PT

Momentos antes da fala do presidente, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, que é do estado, aproveitou o evento para atacar a atuação da governadora Fátima Bezerra (PT). Para o ministro, a gestora estadual é "mentirosa" por afirmar, segundo Faria, que tem "adquirido vacinas para o estado".

"Aqui tem uma governadora que, se chover no RN, ela diz que foi ela que trouxe a chuva", ironizou.

Já o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, que também é da região, disse que a oposição tem acusado o presidente de "defender a família brasileira e a bandeira" e que tem sido atacado e "vilipendiado" por "defender a verdade".

"Muitos estão com saudades de um presidente que era acusado de corrupção, de comprar parlamentares, de corromper as pessoas e de assaltar a Petrobras", afirmou em ataque direto ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

A comitiva presidencial compareceu à região para liberar R$ 38,2 milhões, sendo R$ 18 milhões em emendas parlamentares, para a conclusão das obras da barragem de Oiticica.

O governo Bolsonaro teve início em 1º de janeiro de 2019, com a posse do presidente Jair Bolsonaro (então no PSL) e de seu vice-presidente, o general Hamilton Mourão (PRTB). Ao longo de seu mandato, Bolsonaro saiu do PSL e ficou sem partido. Os ministérios contam com alta participação de militares. Bolsonaro coloca seu alinhamento político à direita e entre os conservadores nos costumes.