PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
15 dias

'Me sinto melhor do que na primeira infecção', diz Doria

Governador João Doria disse estar com coriza em coletiva de imprensa realizada na última quarta-feira (14) - Reprodução
Governador João Doria disse estar com coriza em coletiva de imprensa realizada na última quarta-feira (14) Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

21/07/2021 12h56Atualizada em 21/07/2021 14h21

O governador João Doria (PSDB) disse hoje, durante uma participação virtual na coletiva de imprensa da gestão estadual, que está assintomático e melhor do que esteve na primeira infecção por covid-19. Em junho, o tucano tomou a segunda dose da CoronaVac, vacina produzida pelo Instituto Butantan.

Estou bem e cumprindo a quarentena, mas completamente assintomático. Me sinto melhor do que quando tive a primeira infecção da covid-19. Com o atendimento do doutor David Uip, me sinto muito bem. E me sinto muito bem porque tomei a vacina, as duas doses da CoronaVac, a vacina que me salvou e tem salvo a vida de muitos brasileiros."
João Doria

Nas redes sociais, Doria havia adiantado que passa bem e tem a convicção de que está protegido contra o agravamento da doença.

Por conta da recuperação, a coletiva de imprensa que atualiza dados sobre o avanço da vacinação e os números da pandemia em São Paulo foi conduzido pelo vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia.

Segundo ele, nos últimos sete dias foi registrado o menor índice de pessoas internadas com a doença do ano.

Nova remessa de doses entregues ao PNI

O Instituto Butantan entregou na manhã de hoje mais 1,5 milhão de doses da CoronaVac ao PNI (Programa Nacional de Imunização) do Ministério da Saúde. Ao todo, o centro de pesquisa encaminhou 57,6 milhões de doses à pasta em seis remessas.

Somente no mês de julho 5,4 milhões de doses dos imunizantes foram entregues ao PNI. A última entrega foi realizada na segunda-feira (19).

A previsão inicial era que o Instituto Butantan enviasse 10 milhões de doses em julho, mas o centro de pesquisa decidiu adiantar o cumprimento do contrato de 100 milhões de doses com um mês de antecedência.

Com o adiantamento, faltam 41,4 milhões de doses a serem remetidas. Até o dia 30 de agosto, o Ministério da Saúde receberá o total de doses contratadas.

Política