PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
3 meses

Aras nega que recondução à PGR sirva a 'pretensões eleitorais' de Bolsonaro

Hoje, em editorial, o jornal carioca O Globo manifestou preocupação sobre a recondução de Aras à PGR - Jorge William/Agência O Globo
Hoje, em editorial, o jornal carioca O Globo manifestou preocupação sobre a recondução de Aras à PGR Imagem: Jorge William/Agência O Globo

Do UOL, em São Paulo

22/07/2021 16h37Atualizada em 22/07/2021 17h15

O procurador-geral da República, Augusto Aras, rechaçou hoje avaliações de que a recondução dele ao posto de chefe da PGR visa atender a interesses eleitorais do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Bolsonaro anunciou a indicação de Aras para um novo mandato como procurador-geral da República na última terça-feira (20), ignorando a lista tríplice do MPF (Ministério Público Federal). A recondução, para ser aprovada, precisará passar por sabatina e votação no Senado.

A crítica de Aras, publicada em nota no site do MPF, se dirige a "especulações manifestadas por órgãos de imprensa" que tentam vincular a recondução dele ao posto a "eventuais pretensões eleitorais do presidente da República em 2022", ano de eleições.

Para o procurador, nos últimos anos, a atuação da PGR "se pautou sempre na defesa do sistema acusatório, no respeito às provas reunidas e não na retórica própria do ambiente político".

Hoje, em editorial, o jornal O Globo opinou que, "caso confirmada, a recondução de Aras será particularmente preocupante por causa do aumento das manifestações golpistas de Bolsonaro à medida que se aproximam as eleições de 2022".

Para embasar a preocupação, o jornal citou o fato de a procuradoria ter defendido o arquivamento do inquérito sobre atos antidemocráticos, da PGR ter pedido para aguardar o fim da CPI da Covid para investigar Bolsonaro por suposta prevaricação no caso Covaxin, entre outros casos.

"Se o passado servir de bússola, não será da PGR sob Aras que a defesa da democracia receberá um reforço", finalizou o editorial, intitulado "Bolsonaro conta com apoio de Aras na PGR para as eleições de 2022".

Na nota publicada no site do Ministério Público, Aras reagiu, se dizendo democrata. "A defesa da democracia, ao contrário do que sugere um dos textos, sempre foi e seguirá sendo a bússola para o procurador-geral da República", afirmou.

Política