PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

'Família estraçalhada', diz prefeita após irmãos mortos pela polícia na BA

Prefeita Damária Jácome com o irmão Laete Jácome - Divulgação/Prefeitura de João Dias
Prefeita Damária Jácome com o irmão Laete Jácome Imagem: Divulgação/Prefeitura de João Dias

Aliny Gama

Colaboração para o UOL, em Maceió

22/10/2021 14h10

A prefeita do município de João Dias (RN), localizado na região oeste do estado, Damária Jácome de Oliveira (PP), 31 anos, afirmou que teve a família "estraçalhada" e que os familiares vivem os "piores momentos" da vida depois que dois irmãos dela, Francisco Deusamor Jácome de Oliveira e Leidjan Jácome de Oliveira, morreram durante operação policial ocorrida município de Barras (BA), ontem.

A polícia apreendeu um arsenal, munições e veículo de luxo com a dupla, que estava em um sítio. Outro irmão da prefeita, Romeu Jácome de Oliveira, 35, foi preso em Vitória da Conquista (BA) enquanto passeava dentro de um shopping. A ação ocorreu, na última terça-feira (19), em combate à ação de narcotraficantes no Nordeste.

Os três irmãos da prefeita eram procurados pelos crimes de tráfico internacional de drogas e associação ao tráfico. Segundo a polícia, eles viviam uma vida de luxo e são apontados como os principais fornecedores de drogas no Nordeste, chegando a comercializar, durante os meses de investigação, mais de R$ 30 milhões em maconha.

"Terça-feira meus dois irmãos foram assassinados, sem que a eles fosse dado o direito de ser julgado pela Justiça dos homens. Tiraram a vida de dois jovens e estraçalharam com toda família do povo de João Dias, afinal, somos todos uma só família", destacou em nota, a prefeita de João Dias.

A prefeita afirmou que os irmãos foram "brutalmente assassinados" e disse que repudia "ilações e mentiras que nossos adversários tentam propagar." "Nunca fui condenada pela Justiça. O que há são acusações desprovidas de qualquer prova.

Ressalte-se que a defesa já foi apresentada ao Judiciário com todos os argumentos que demonstram a minha inocência", informa o texto.A prefeitura decretou luto oficial de três dias, em nota divulgada nas redes sociais, e também lamentou as mortes, sem informar que os homens estavam foragidos da polícia pelo envolvimento em crimes de tráfico de drogas e foram mortos durante troca de tiros.

Durante a campanha para gestão municipal, Damária, que era candidata a vice, ficou foragida ao ser procurada pela polícia investigada por suposto envolvimento em organização criminosa por receptação de arma de fogo. Ela conseguiu obter decisão judicial para responder pelo crime em liberdade. Em julho, o então prefeito de João Dias, Marcelo Oliveira (PP), renunciou ao cargo, e Damária assumiu a prefeitura.

O pai da prefeita, o presidente da câmara de vereadores de João Dias, vereador Laete Jácome (PP), 64, é apontado pela polícia como líder da organização criminosa, e outros irmãos dela, como integrantes.

Laete chegou a ser preso, em outubro do ano passado, por posse ilegal e receptação de arma de fogo. A polícia cumpriu mandado de busca e apreensão na casa dele e encontrou três pistolas calibre 380 com 80 munições, dois rifles calibre 38 com 103 munições e duas espingardas calibre 12 com 100 munições.

Outro irmão da prefeita, Samuel Jácome de Oliveira, 40, foi preso na praia de Aruana, em Aracaju, suspeito de participar do grupo criminoso. Samuel já foi condenado por tráfico de drogas por duas vezes.

Ação na Bahia

A PCRN informou que Francisco Deusamor Jácome de Oliveira e Leidjan Jácome de Oliveira atuava com tráfico de drogas com organização igualmente a uma empresa, com divisões de tarefas e filiais dentro e fora do país. Eles estavam escondidos em um sítio na zona rural de Barras (BA).

A polícia disse que as equipes foram recebidas a tiros ao chegar ao local que a dupla estava, para cumprir os mandados de prisão preventiva em desfavor decorrente dos crimes de tráfico de drogas internacional, associação ao tráfico e organização criminosa.

"No momento em que as equipes policiais chegaram ao local, os suspeitos efetuaram diversos disparos de arma de fogo; ocasião que provocou confronto, em reação à injusta agressão. Os dois suspeitos foram atingidos, socorridos ao hospital, mas não resistiram e foram a óbito. Em posse de Francisco Deus Amor e Leidjan Jácome, foram apreendidos: um veículo de luxo, duas pistolas e munições", informou a PCRN.

Já em Vitória da Conquista, Romeu Jácome de Oliveira foi detido enquanto passeava dentro de um shopping. Em desfavor dele, existia um mandado de prisão em aberto, decorrente da prática dos crimes de: tráfico internacional de drogas, associação para o tráfico e organização criminosa. O processo tramitou na Justiça Federal, no âmbito da Superintendência Regional do Paraná. "Romeu Jácome foi detido e recambiado ao RN, onde permanecerá à disposição da Justiça", disse a PCRN.

Os nomes dos quatro irmãos da prefeita de João Dias integravam parte da lista dos procurados pela Interpol (Organização Internacional de Polícia Criminal) e, há anos, estavam foragidos da Justiça, vivendo uma vida confortável, a partir de rendimentos oriundos da venda de drogas.

A operação denominada de "Sinaloa" ocorreu nos municípios de Vitória da Conquista (BA) e Barras (BA), interior do estado, desenvolvida em conjunto entre as polícias civil do Rio Grande do Norte e da Bahia, por meio da Deicor (Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado), do Draco-BA (Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado) e da CATI-BA (Coordenação de Apoio Técnico à Investigação).

O nome da operação ocorreu em referência à cidade de Sinaloa, localizada no oeste do México, utilizada como ponto estratégico de atuação do cartel para a prática do tráfico de drogas, comercializando para dentro e fora daquele país.

A Polícia Civil solicita que a população continue enviando informações, de forma anônima, por meio do Disque Denúncia 181, ou por meio do Disque DEICOR, no número: (84) 3232-2862, além do aplicativo WhatsApp: (84) 98135-6796.

Política