PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
2 meses

Moro foi juiz incompetente e garantiu impunidade a Lula, diz Ciro Gomes

Ciro sobre Moro: "Ao invés de ser um juiz severo e equilibrado foi um politiqueiro" - Evaristo Sá/AFP
Ciro sobre Moro: 'Ao invés de ser um juiz severo e equilibrado foi um politiqueiro' Imagem: Evaristo Sá/AFP

Do UOL, em São Paulo

18/11/2021 11h08Atualizada em 18/11/2021 11h21

O ex-ministro e presidenciável Ciro Gomes (PDT) disse hoje que o ex-juiz e ex-ministro Sergio Moro (Podemos) não tem vivência para ser candidato à Presidência da República e demonstrou ser um magistrado "incompetente" por, segundo ele, "garantir a impunidade" do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Em entrevista à CNN, Ciro questionou quais são as propostas do ex-juiz da Lava Jato e a compreensão que ele tem do "drama social brasileiro", citando o desemprego e inflação.

Moro se filiou ao Podemos na semana passada e, em entrevista ao programa "Conversa com Bial", da TV Globo, disse se sentir preparado para assumir a liderança do projeto de governo.

(...) Uma pessoa que simplesmente não tem vivência nenhuma. Você pode ter toda qualidade do mundo, mas mesmo como juiz revelou-se um juiz incompetente — e isso quem declara é o Supremo Tribunal Federal. Incapaz de fazer com equilíbrio, com isenção um processo que acaba devolvendo a impunidade para um governo que foi um dos mais corruptos da história brasileira, que é o governo do Lula Ciro Gomes sobre Sergio Moro

Em junho deste ano, o STF declarou que Moro foi parcial ao julgar Lula no processo do tríplex do Guarujá (SP). No dia 8 de março, o ministro Edson Fachin anulou todas as condenações de Lula sentenciadas por Moro na Justiça Federal do Paraná. Com a decisão, o petista voltou a ser elegível e apto a se candidatar a presidente em 2022. O caso foi levado ao plenário do STF, no dia 15 de abril, e a declaração de incompetência de Moro foi confirmada por 8 votos a 3.

Para o pedetista, Moro "garantiu a impunidade" de Lula e de pessoas que integraram seu governo "porque trocou os pés pelas mãos e, ao invés de ser um juiz severo e equilibrado, foi um politiqueiro que usou a magistratura para sua ambição desmedida".

Uma pesquisa eleitoral da Genial Investimentos e Quaest Consultoria divulgada na semana passada apontou que Lula lidera a disputa para as eleições de 2022, seguido pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Já Moro apareceu em terceiro lugar, empatado com Ciro.

Pastore na economia

Durante a entrevista, Ciro também comentou o fato de o ex-presidente do BC (Banco Central) Affonso Celso Pastore ser o conselheiro de Moro sobre assuntos econômicos.

Apesar de ter elogiado o economista, classificando-o como uma "pessoa estimável e respeitável", Ciro lembrou que ele foi presidente do BC ainda durante a ditadura militar, no governo Figueiredo.

"É menos do mesmo, é uma coisa absolutamente chocante que uma pessoa que não entende nada traga um homem do banco, um homem do sistema financeiro. O Brasil precisa desesperadamente discutir uma mudança do modelo econômico", disse o pedetista, acrescentando ter uma equipe de "600 sábios" que o auxiliam sobre as diversas questões envolvendo o país.

Em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo publicada hoje, Pastore disse que não vai ser "posto Ipiranga" — uma referência ao apelido que Bolsonaro deu ao ministro da Economia, Paulo Guedes — de Moro. O economista, 83, afirmou que não está fazendo "o jogo de virar ministro", não negociou nenhum cargo e está oferecendo "uma cooperação espontânea de um cidadão que a vida inteira deu aula de economia e acumulou conhecimento".

Política