PUBLICIDADE
Topo

Política

Bolsonaro fala em fronteira blindada após reunião com presidente paraguaio

Do UOL, em São Paulo

24/11/2021 17h05

Ao receber o presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, em Brasília, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) defendeu hoje a cooperação entre os dois países no combate ao crime organizado e afirmou que a inauguração de um sistema de radar em Ponta Porã (MS) deve "blindar" a região da fronteira, que vive uma onda violenta de assassinatos.

Tratamos também da questão do crime organizado. O Paraguai tem nos ajudado e muito nessa questão. Inauguramos mais um radar em Ponta Porã, o deixa basicamente toda a nossa fronteira blindada com esse novo radar. Presidente Jair Bolsonaro, sem entrar em detalhes, durante evento realizado no Palácio do Planalto

A inauguração da estação radar para controle do espaço aéreo em Ponta Porã ocorreu em julho. Esta foi a terceira inaugurada pela FAB (Força Aérea Brasileira) em convênio com o Ministério da Justiça e Segurança Pública. A primeira foi em agosto de 2020, em Corumbá (MS), e a segunda, em março de 2021, em Porto Murtinho (MS).

Antes paraíso dos muambeiros, a fronteira seca entre os dois países afunila a rota do tráfico de drogas e se transformou em "teatro de guerra" entre justiceiros, matadores de aluguéis, facções e narcopolíticos, conforme registrou reportagem especial do TAB, plataforma do UOL, na semana passada.

Segundo levantamento, nos últimos três meses, houve ao menos seis atentados com mais de uma vítima. Os casos foram registrados em quatro municípios dos dois países, em pontos estratégicos para o comércio internacional de entorpecentes: a fronteira entre Pedro Juan Caballero, no Paraguai, e Ponta Porã, e Capitán Bado e Coronel Sapucaia (MS).

Entre os ataques, a chacina que deixou quatro pessoas mortas ao serem atingidas por mais de 100 disparos de fuzil no dia 9 de outubro na saída de uma casa noturna em Pedro Juan Caballero. A polícia investiga a ligação desse crime com o PCC (Primeiro Comando da Capital). O caso ocorreu um dia após o assassinato do vereador Farid Charbell Badaoui Afif, morto a tiros em Ponta Porã (MS)

Política