PUBLICIDADE
Topo

Política

STF julga pedido de soltura de Zé Trovão a partir de amanhã

Em outubro, Zé Trovão se entregou à Polícia Federal após mais de um mês foragido - Reprodução/Redes Sociais
Em outubro, Zé Trovão se entregou à Polícia Federal após mais de um mês foragido Imagem: Reprodução/Redes Sociais

Rafael Neves

Do UOL, em Brasília

02/12/2021 19h52

A Primeira Turma do STF (Supremo Tribunal Federal) começa a julgar amanhã, em plenário virtual, um pedido de soltura do influenciador Marcos Antônio Pereira Gomes, o Zé Trovão. Os cinco integrantes da turma decidirão se mantêm ou derrubam uma decisão do ministro Luís Roberto Barroso, relator do caso, que negou um pedido de liberdade para o caminhoneiro e youtuber bolsonarista.

Depois de ficar foragido por quase dois meses, a maior parte do tempo no México, Zé Trovão se entregou à PF (Polícia Federal) no dia 26 de outubro. Ele é investigado por ter articulado atos contra as instituições nos atos de 7 de setembro em apoio ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Além de Barroso, compõem a Primeira Turma os ministros Alexandre de Moraes, Cármen Lúcia e Rosa Weber, além do presidente do colegiado, Dias Toffoli. O julgamento se inicia à meia-noite e os ministros podem depositar seus votos no sistema do STF até o próximo dia 13.

Dias antes de Zé Trovão se entregar, o Supremo já havia negado um pedido de habeas corpus para o caminhoneiro, em julgamento virtual que reuniu toda a Corte. Em seguida, com a prisão efetivada, a defesa foi novamente ao STF para que a medida fosse revogada. O processo ficou sob a condução de Barroso.

O mandado de prisão contra Zé Trovão foi emitido no dia 3 de setembro pelo ministro Alexandre de Moraes, relator do inquérito que investiga atos antidemocráticos, dias antes das manifestações de 7 de setembro. A defesa, no entanto, afirmou que ele não se entregaria, e dias depois o influenciador bolsonarista viajou ao México, onde foi recebido por outro investigado, o jornalista Oswaldo Eustáquio.

Política