PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
4 meses

Ministro Barroso elogia eleição em Portugal: 'Ninguém questionou resultado'

22.nov.21 - Ministro Luís Roberto Barroso, presidente do TSE, na abertura do TPS (Teste Público de Segurança) - Antonio Augusto/Secom TSE
22.nov.21 - Ministro Luís Roberto Barroso, presidente do TSE, na abertura do TPS (Teste Público de Segurança) Imagem: Antonio Augusto/Secom TSE

Do UOL, em São Paulo

31/01/2022 14h16Atualizada em 02/02/2022 13h59

O ministro Luís Roberto Barroso, presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), elogiou hoje a organização das eleições em Portugal. O Partido Socialista, liderado pelo primeiro-ministro, António Costa, venceu a disputa nas urnas e conquistou ampla maioria no Parlamento.

Barroso participou das eleições como observador, a convite da Comissão Nacional Eleitoral. "As pesquisas indicavam empate técnico. Para surpresa geral, o Partido Socialista obteve maioria absoluta. Ainda assim, ninguém questionou o resultado nem fez acusações infundadas", afirmou o ministro.

Ele acrescentou que Portugal é um "exemplo de respeito e civilidade para o mundo". Em 2020, o republicano Donald Trump perdeu as eleições americanas para o democrata Joe Biden e colocou em dúvida a legalidade dos votos por correio.

Parte dos republicanos diziam que os votos de Biden eram duplicados e Trump pressionou por uma recontagem em estados-chave, como Geórgia e Arizona. Uma auditoria foi feita, mas não foi comprovada fraude.

Dois meses após o resultado das eleições, Trump incitou apoiadores a invadir o Capitólio durante a sessão que certificaria Joe Biden como presidente.

No Brasil, o presidente Jair Bolsonaro (PL) defendeu Trump e reforçou o discurso de fraude nas eleições americanas. Bolsonaro foi o último líder dos países do G-20 a reconhecer a vitória de Joe Biden nas eleições de 3 de novembro.

Na mesma época, Bolsonaro voltou a questionar as eleições de 2018 no Brasil e, sem provas, repetiu que as urnas eletrônicas não são seguras. Ele já venceu seis votações no Brasil com o sistema.

Resultado das eleições de Portugal

Os socialistas conseguiram 117 das 230 cadeiras do Parlamento, seguidos por 71 do Partido Social-Democrata (PSD, de direita), contrariando as pesquisas que projetavam uma disputa apertada.

Com o resultado, o primeiro-ministro António Costa não dependerá mais dos dois partidos da esquerda radical que o apoiaram a partir de 2015 —mas abandonaram a coalizão em outubro, o que forçou a convocação de eleições antecipadas —e poderá formar um governo apenas com o Partido Socialista (PS).

O resultado contraria a tendência de outros países europeus, como Grécia e França, onde os socialistas perderam força eleitoral.

Como funcionam as eleições em Portugal?

Diferentemente do Brasil, as eleições em Portugal são feitas por meio de voto impresso. Estão aptos a participar da decisão do pleito os cidadãos de nacionalidade portuguesa maiores de 18 anos.

Brasileiros podem contribuir para a votação se forem "residentes em Portugal, com cartão de cidadão ou bilhete de identidade (com estatuto de igualdade de direitos políticos)", segundo a CNE (Comissão Nacional de Eleições) na sua página de internet.

Política