PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

'Amai-vos e não armai-vos', disse bispo no casamento de Lula e Janja

Foto oficial do casamento de Lula e Janja - Ricardo Stuckert
Foto oficial do casamento de Lula e Janja Imagem: Ricardo Stuckert

Do UOL, em São Paulo

22/05/2022 21h28

A benção do casamento do ex-presidente Lula (PT) com a socióloga Rosângela Silva, a Janja, na última quarta-feira (18), contou com uma alfinetada ao presidente Jair Bolsonaro (PL). "Amai-vou e não armai-vos", disse o bispo emérito de Blumenau (SC), dom Angélico Sândalo, que realizou a cerimônia.

"Insisto e repito: amai-vos e não armai-vos, para que vocês possam continuar na urgente missão que Deus colocou em seus ombros", falou o bispo antes da troca de alianças entre os noivos. O religioso conhece o petista desde a década de 1970. "Continue firme. Que Deus abençoe o amor de vocês", disse o bispo.

Dom Sândalo disse ainda que é necessário "um Brasil marcado não por armas, mas por amor". A mensagem do bispo foi publicada na noite deste domingo nas redes sociais de Lula.

A compra de armas e munições no Brasil foi flexibilizada pelo governo Bolsonaro. Como reflexo, cresceu o número de armas em posse de civis no país. Atualmente, atiradores têm permissão para possuir até 60 armas, incluindo fuzis.

Na última terça-feira (17), Bolsonaro voltou a defender o uso de armas de fogo por civis, inclusive para supostamente defender a democracia. Porém, os únicos sinais de ameaça à democracia brasileira atualmente partem justamente do próprio governo Bolsonaro, ao colocar em dúvida as eleições democráticas e fazer falas de teor golpista.

"Além de segurança para as famílias, é segurança para nossa soberania nacional e a garantia de que a nossa democracia será preservada. Não interessa os meios que um dia porventura tenhamos que usar. Nossa democracia e nossa liberdade são inegociáveis", disse Bolsonaro.

Política