PUBLICIDADE
Topo

Política

Mulher de Daniel Silveira reclama que teve conta bloqueada por Moraes

Deputado Daniel Silveira (PTB-RJ) e a mulher Paola da Silva Daniel - Reprodução/Facebook
Deputado Daniel Silveira (PTB-RJ) e a mulher Paola da Silva Daniel Imagem: Reprodução/Facebook

Eduardo Militão

Do UOL, em Brasília

04/06/2022 14h11

A advogada Paola Daniel, mulher do deputado bolsonarista Daniel Silveira (PTB-RJ), afirmou ontem (3) à noite, nas redes sociais, que suas contas bancárias foram bloqueadas e culpou o ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal). "Isto é inaceitável e extremamente ilegal. Simplesmente não estou acreditando", escreveu.

Ao UOL, a advogada de Silveira, Karina Kufa, confirmou o confisco, mas disse que não sabe quais argumentos foram usados pelo ministro porque não recebeu cópia da decisão.

O advogado de Paola Silva, Paulo César Rodrigues Faria, disse ao UOL que o confisco é apropriação indébita e crime."Paola não é parte em nenhum processo, não foi condenada a nada, e a pena não ultrapassa à figura do condenado. "Paola é advogada do deputado Daniel Silveira. Isso viola as prerrogativas, pois entendo que ela está sendo perseguida, assim como eu fui."

Farias afirmou que ignora os argumentos do ministro do STF. "A decisão dele só confirma a perseguição pessoal do senhor Alexandre de Moraes, como venho denunciando".

A assessoria do Supremo foi procurada, mas não comentou.

Silveira foi condenado em abril pelo STF a oito anos e nove meses de prisão por ameaças aos ministros da Corte e ataques à democracia. A defesa do parlamentar minimizou os ataques e alegou que o julgamento era político. Logo depois, o presidente Jair Bolsonaro (PL) concedeu o instituto da graça (uma espécie de perdão) ao deputado.

Uma fonte que acompanha o processo afirmou que investigações levadas ao ministro Alexandre de Moraes indicaram que Paola tentou tirar bens e contas do nome do marido. O objetivo seria colocar o patrimônio em nome dela. As defesas de Paola e Silveira ignoram os argumentos para a decisão.

Em sua publicação, Paola disse que "todo o dinheiro" da conta foi bloqueado, sem ordem judicial. Ela argumentou que isso não poderia acontecer porque ela é advogada no processo do marido.

O nível de ilegalidade é tão estarrecedor que mesmo conhecendo o processo legal, não sei o que dizer. Simplesmente não sei o que dizer e o que pensar."
Paola Silva, esposa do deputado Daniel Silveira

A reportagem apurou que a ordem para bloquear as contas de Paola Silva foi feita nesta semana.

Em rede social, o advogado Paulo César Rodrigues Faria reforçou que Alexandre de Moraes cometeu crimes de abuso de autoridade, perseguição, violência psicológica, entre outros.

Ordens descumpridas

Antes de Daniel Silveira ser condenado, ele deixou de cumprir ordens judiciais no processo, como fazer reuniões públicas e se reunir com investigados em um inquérito da Polícia Federal que apura a participação de militantes em atos da chamada "milícia digital". Por descumprir essas ordens, foi ordenado a colocar uma tornozeleira eletrônica no início deste ano.

Como demorou para colocar a tornozeleira e cumprir demais ordens judiciais, passou a ser multado pelo STF, inclusive com confiscos em suas contas bancárias.

Em 5 de maio, por exemplo, a conta de Silveira no Banco do Brasil teve um confisco de R$ 6.331,22. Somados a outros bloqueios, ele jáhavia perdido R$ 18 mil até aquela data.

Política