Topo

Conteúdo publicado há
10 meses

General G. Dias depõe por mais de 4h na PF sobre atuação em atos golpistas

Do UOL, em São Paulo

21/04/2023 09h28Atualizada em 21/04/2023 14h18

O general Gonçalves Dias, ex-chefe do GSI, depôs à PF por mais de quatro horas sobre a atuação dele no dia dos atos golpistas que destruíram a Praça dos Três Poderes. O depoimento terminou no início da tarde.

O que aconteceu?

Carro com o general deixou a PF pela garagem e ele não falou com a imprensa. O mesmo procedimento foi seguido quando ele chegou à superintendência da corporação durante a manhã.

O depoimento começou por volta das 9h. Ele foi uma determinação do ministro Alexandre de Moraes, relator das investigações na Suprema Corte.

Imagens de câmeras de segurança divulgadas pela CNN Brasil mostraram ele andando no Palácio do Planalto durante os ataques. O episódio levou à demissão do general.

O que a PF quer esclarecer com o depoimento do ex-GSI

A atuação dele resultou em alguma prisão? Gonçalves Dias afirmou que ele apareceu nas filmagens porque tentava tirar golpistas do terceiro e do quarto andar do Palácio do Planalto. Segundo ele, o objetivo seria levar essas pessoas para outro lugar para que elas fossem presas.

Ele deu orientações aos invasores? Nas imagens, o general aparece conversando com os invasores do Planalto. O militar alega que estava tentando desmobilizar a ofensiva golpista.

Existem mais imagens gravadas? Em entrevista à GloboNews, o ministro-chefe da Secom, Paulo Pimenta, disse que Lula pediu a Dias o acesso às imagens registradas perto do gabinete presidencial durante os ataques ao Palácio do Planalto. O general teria dito que esses registros estavam indisponíveis.

Se as imagens estavam indisponíveis, como elas foram divulgadas? O depoimento pode esclarecer também porque Gonçalves Dias disse que os vídeos das câmeras de segurança estavam indisponíveis. Elas foram publicadas pela CNN Brasil na quarta-feira (19).

Por que o GSI colocou os vídeos em sigilo? O GSI decretou sigilo de cinco anos para a imagens gravadas no dia 8 de janeiro. O gabinete não entregou os arquivos à Câmara e à CPI dos atos antidemocráticos do DF alegando que eles eram muito grandes para o envio e que "recursos humanos da segurança presidencial" poderiam ser identificados.

Gonçalves Dias sabia que ele aparecia nas imagens? O general disse que "colaram" imagens dele ao do major José Eduardo Natale de Paula Pereira, flagrado distribuindo água aos golpistas. Ele alegou que não teve relação com esse momento específico das gravações e defendeu que Pereira seja punido.

Como ele chegou tão rápido ao Palácio do Planalto? Gonçalves Dias disse que só foi até o local quando foi informado sobre a invasão. Ele não explicou onde estava antes desse deslocamento.