Conteúdo publicado há 8 meses

Geddel critica acordo de delação de Mauro Cid: 'Cagueta é coisa de canalha'

O ex-ministro Geddel Vieira Lima criticou o acordo de delação premiada do tenente-coronel Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Bolsonaro.

O que aconteceu

Geddel disse que "cagueta é coisa de canalha". O ex-ministro fez uma publicação no Instagram com uma foto de Cid em depoimento à CPMI dos atos golpistas de 8 de janeiro.

Ex-ministro foi condenado pelo STF em 2019. O STF (Supremo Tribunal Federal) condenou Geddel e o ex-deputado federal Lúcio Vieira Lima (MDB-BA), irmão do político, pelos crimes de lavagem de dinheiro e associação criminosa. A investigação levou à apreensão de cerca de R$ 51 milhões em dinheiro em um apartamento, em Salvador.

Pena foi de 14 anos e 10 meses de prisão e pagamento de 106 dias multa, valor estimado em R$ 1,6 milhão. Lúcio foi condenado a 10 anos e 6 meses de prisão e a um pagamento de 60 dias multa, valor estimado em R$ 908 mil. Além disso, os ministros condenaram os dois ao pagamento de R$ 52 milhões em danos morais coletivos, uma espécie de reparação à sociedade pelos crimes cometidos.

R$ 51 milhões divididos em dólares e reais. Os valores estavam em nove malas e sete caixas com notas de real e dólar, somando R$ 42,6 milhões e US$ 2,7 milhões (R$ 8,4 milhões, no câmbio da época).

Liberdade condicional. Em fevereiro, o ministro Edson Fachin autorizou Geddel a cumprir pena em liberdade condicional. Além da progressão de regime, o ministro também liberou a dedução de 681 dias da sentença de 13 anos e quatro meses imposta no processo. Geddel cumpria pena desde julho de 2017, quando foi decretada sua prisão provisória.

Geddel criticou Mauro Cid em post no Instagram
Geddel criticou Mauro Cid em post no Instagram Imagem: Reprodução

Deixe seu comentário

Só para assinantes