Confiante sobre Sabesp, Tarcísio acompanha Bolsonaro em evento em Brasília

Horas antes da sessão em que deputados paulistas decidirão sobre a privatização da Sabesp, o governador Tarcísio de Freitas mostrou confiança na aprovação do projeto de lei.

O que aconteceu

Tarcísio (Republicanos) diz ter a "expectativa de aprovação" dos deputados para autorizar a venda da companhia de saneamento. A votação acontece nesta noite na Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo).

O governador está em Brasília para um evento na Câmara que também contou com Jair Bolsonaro (PL). Eles participaram do lançamento da frente parlamentar em defesa das escolas cívico-militares.

O ex-presidente dividiu a mesa do evento com o aliado e aproveitou para elogiá-lo. "Hoje, [Tarcísio] nos orgulha em São Paulo. Um excelente governador", disse Bolsonaro, que também tinha as privatizações como bandeira de gestão.

A decisão de privatizar a companhia de água e esgoto enfrenta forte resistência de deputados de esquerda. Houve até desentendimento entre deputados da situação e oposição ontem à noite.

PM usa gás de pimenta antes da votação

A discussão na Alesp foi interrompida após uma confusão entre manifestantes e polícia. A sessão foi interrompida às 18h29 para que o local fosse esvaziado. Por volta das 19h, foi feita uma varredura.

A polícia usou spray de pimenta e bateu nos manifestantes com cassetete. Ao menos uma pessoa foi retirada do auditório algemada.

Continua após a publicidade

A confusão começou quando manifestantes se levantaram e tentaram quebrar o vidro que separa os deputados e o público. Mais de 200 pessoas estavam no plenário — entre os deputados, situação e oposição discutiam em voz alta nesse momento.

Cerca de 20 policiais foram convocados para conter a multidão, que chegou perto de quebrar a placa. Membros da base aliada classificaram o ato como vandalismo, enquanto a oposição tentava acalmar o público.

Manifestantes foram levados para a delegacia da Alesp e para o posto de saúde do prédio. Imagens que circulam nas redes sociais mostram pessoas feridas e sangrando ainda dentro do plenário.

Entre os manifestantes, estavam membros do partido Unidade Popular e outros grupos de esquerda, além de funcionários da Sabesp. Representantes dos trabalhadores da empresa exibiam cartazes contra a privatização e a favor de um plebiscito para votar o tema.

O que precisa para ser aprovado

Para a aprovação, são necessários 48 votos — a Alesp têm 94 deputados. Elaborada pelo governo do estado, a proposta autoriza a transferência do controle acionário da empresa e estabelece regras para quem assumir o comando da empresa.

Continua após a publicidade

O deputado Gilmaci Santos (Republicanos) acredita numa aprovação com 50 votos. A privatização da Sabesp é uma das principais promessas de campanha de Tarcísio. A efetivação trará prestígio junto ao eleitorado liberal e bolsonarista.

A tentativa de aprovar a venda foi capitaneada pelo próprio Tarcísio. Ele se reuniu com prefeitos e aumentou o número de encontros com parlamentares.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes