Prefeito de Maceió diz que pediu reunião com Lula para falar sobre mina

O prefeito de Maceió, João Henrique Caldas (PL), diz que pediu uma reunião com o presidente Lula (PT) para falar sobre o rompimento de ontem na mina 18 da Braskem.

O que aconteceu

Caldas afirma que o objetivo do encontro é tratar dos impactos do rompimento. O prefeito também quer alinhar os próximos para a serem adotados nas negociações para receber ajuda da União.

Lula ainda não respondeu se aceita o convite de Caldas. O UOL entrou em contato com a Secom (Secretaria de Comunicação da Presidência da República) para confirmar se o pedido foi recebido, mas ainda não obteve retorno. Em caso de manifestação, esse texto será atualizado.

Prefeito de Maceió está em Brasília também para falar com Lira e pedir recursos. Caldas é aliado do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). Para viajar à capital federal, o prefeito deixou de se reunir com o governador de Alagoas, Paulo Dantas (MDB), que é aliado do senador Renan Calheiros (MDB-AL).

Caldas e Dantas não conversaram pessoalmente desde 29 de novembro. Essa foi a data do anúncio oficial sobre o risco de colapso na mina da Braskem.

Conversas foram à distância. Os gestores e rivais locais chegaram a se falar por telefone na noite de ontem, poucas horas após o rompimento da mina 18, mas divergiram sobre a necessidade de uma reunião presencial.

Prefeito de Maceió também é aliado de Bolsonaro. Com apoio massivo de políticos bolsonaristas, como o caso do deputado federal recém-eleito Alfredo Gaspar, o prefeito não vinha citando Lula em nenhum momento durante a crise recente e se apega a Lira e à bancada de direita do estado.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes